Esteja preparado para lutar por seus ideais:

De que adianta zombar da Nova Resistência pela insistência com a qual defendemos a necessidade de treinamento físico para militantes políticos, e aí depois apanhar vergonhosamente para nerds bolsonaristas de 50kg que ainda estavam em menor número?

A violência é uma ferramenta fundamental da política, que pode e deve ser legitimamente utilizada, mesmo quando não somos alvo de violência física e direta. Ela serve como resposta às outras formas de violência: econômica, social, psicológica, cultural, simbólica.

Ao especulador que pratica violência indireta por meio da virtualização e da fragilização da economia, condenando o país à pobreza, um choque de realidade dado através de um bom soco na cara é sempre um bom remédio.

Mas como isso pode ser possível se não estivermos preparados? A esquerda, majoritariamente progressista e pós-moderna, que tem feito uma campanha sistemática contra conceitos como “virilidade”, e dá chilique até com a testosterona, não está apta a impôr a sua cosmovisão e, por isso, ela seguirá sendo atropelada e isso será absolutamente merecido.

Como pacifistas, ou gente que só acredita em violência reativa praticada em superioridade numérica, vão ser capazes de encarnar o papel do “soldado político”?

O papel ultraviolento do soldado político, a ser exercido contra a frouxa pseudo-violência de nerds direitistas e reacionários, e contra o pacifismo e covardia dos castrati da esquerda progressista, só poderá ser encarnado por socialistas, patriotas e comunitaristas, que creiam na necessidade do preparo físico, na necessidade do cultivo das habilidades físicas, na necessidade do heroísmo, e estejam dispostos a ir até às últimas consequências em prol da crença na defesa do povo contra todos os seus inimigos.

Nós, da Nova Resistência, estamos aptos a encarar esse desafio. Quantos outros estão?

 

Deixe uma resposta