NOTA OFICIAL DE SOLIDARIEDADE DA NOVA RESISTÊNCIA em apoio a Antonio Neto, Gustavo Castañon, Ciro Gomes e Aldo Rebelo

A Nova Resistência (NR), organização popular brasileira patriótica e trabalhista, vem manifestar solidariedade ao Sr. Antonio Neto, Presidente do PDT-SP; ao Sr. Gustavo Castañon, do PDT-MG; ao Sr. Aldo Rebelo, do Quinto Movimento, e ao Sr. Ciro Gomes (PDT), que estão sendo alvo de calúnias, e vem ainda a público esclarecer algumas questões.

  • O Sr. Antonio Neto, bem como o Sr. Gustavo Castañon, o Sr. Aldo Rebelo, o Sr. Ciro Gomes e outros patriotas e nacionalistas brasileiros, vêm sendo caluniados por (entre outros) a Sra. Letícia Oliveira @bicicreta, editora de um jornal de fake news que se diz anarquista, e pelo Sr. Alexander Reid Ross, ativista liberal e cidadão dos Estados Unidos da América, notório apoiador de toda “revolução colorida” promovida pelos EUA e de toda invasão imperialista americana feita sob o pretexto de “defesa da democracia”, além de notório colaborador da CIA, a agência de espionagem americana. O Sr. Ross nada sabe nem entende sobre o Brasil e a História do Brasil e apenas tem repercutido, em seu Twitter, de forma irresponsável e criminosa, informações falsas a ele transmitidas pela Sr. Letícia Oliveira (“bicicreta”). Em meio a ilações confusas, são acusados criminosamente de “racismo”, “homofobia”, “nazismo” etc. tanto a NR quanto o PDT e o Quinto Movimento, em uma “teoria da conspiração” sobre suposta ameaça nazista dentro da esquerda ou do nacionalismo. Ora, para quem odeia qualquer patriotismo, odeia qualquer identidade regional e cultural e se coloca a serviço dos EUA, qualquer projeto de desenvolvimento nacional ou de valorização das culturas e identidades locais é visto como “fascismo”;
  • Juntando-se a isso, no que parece ser uma campanha orquestrada, um jornalista norte-americano, residente no Brasil, vem acusando o Sr. Ciro Gomes de ter uma trajetória “neofascista”, com base em uma suposta filiação à ARENA quarenta anos atrás.
  • A NR aqui veemente repudia todas essas calúnias contra nossa Organização e contra os supracitados senhores.
  • O Sr. Antonio Neto, em sua trajetória política e sindical, na Central dos Sindicatos Brasileiros CSB e também na Federação Sindical Mundial (1996/1999 e 2011/2016), destaca-se por sua defesa do legado trabalhista de Getúlio Vargas e pelo seu patriotismo, defendendo um coerente nacionalismo cultural, econômico e político, em sentido soberanista e de valorização das culturas do Brasil, sem chauvinismo e promovendo ainda a solidariedade internacional no sentido de um anti-imperialismo consistente – encontrou-se com figuras importantes da luta anti-imperialista mundial, como Bashar Al-Assad; assim sendo, no que pesem quaisquer possíveis críticas a alguns encaminhamentos confusos atuais do PDT em relação à questão dos chamados “identitários” pós-modernos (que seguem sendo tolerados de forma a nosso ver equivocada dentro do partido, assim como vários tipo de neoliberais e infiltrados), o Sr. Antonio Neto, homem honrado e ilibado, pela sua trajetória, merece o respeito e o reconhecimento de qualquer verdadeiro patriota;
  • O Sr. Gustavo Castañon, do PDT-MG, por sua vez, professor universitário, que fez pós-doutorado em filosofia da ciência pela Universidade de Durham, na Inglaterra, e é um dos conselheiros do Sr. Ciro Gomes e tem-se destacado pela defesa do desenvolvimento nacional, pela crítica acertada aos desatinos dos movimentos identitários liberais e acenado para o diálogo com diferentes movimentos patriotas, inclusive o Quinto Movimento de Aldo Rebelo, cujo livro de mesmo nome Castañon elogiou enfaticamente em texto recente. Cumpre destacar que o Sr. Castañon é um nacionalista bem intencionado e um homem honrado;
  • O Sr. Aldo Rebelo, por sua vez, ex-Ministro da Defesa, da Ciência, Tecnologia e Inovação, do Esporte e da Coordenação Política e Assuntos Institucionais, é, sem dúvida alguma, um grande brasileiro e patriota, de trajetória admirável, que sempre entendeu a importância do diálogo com os militares, em prol da defesa da soberania nacional e conhece e ama profundamente o Brasil profundo e seu povo e possui um projeto de nação;
  • Sr. Ciro Gomes, por sua vez, no que pesem algumas críticas que podem ser feitas (à forma confusa como ele e sua campanha vêm tentando conciliar acenos à população trabalhadora brasileira, religiosa e mais conservadora e, ao mesmo tempo, acenos aos identitários liberais mais radicais, recém-saídos das alas mais rancorosas do PSOL), ainda assim é sem dúvida um grande brasileiro e homem de erudição, de carreira política proba e extensa, que possui um projeto de desenvolvimento e é um patriota.
  • A NR portanto, expressa toda sua solidariedade a Antonio Neto, Gustavo Castañon, Aldo Rebelo e Ciro Gomes e oferece seu apoio, reforçando o convite para que todas as forças patrióticas somem esforços e cerrem fileiras na luta por um Brasil verdadeiramente soberano, livre da dominação política, econômica e cultural dos EUA e de qualquer país e livre da usura e da especulação – na luta pela refundação das bases sociais e espirituais de nossa civilização.

A Nova Resistência (NR), esclarece ainda que:

  • A NR é um coletivo em processo de formalização, apartidário e suprapartidário, voltado a atividades de cunho cultural, informativo e de ativismo social – nossos membros, assim, são livres para filiarem-se a partidos políticos e candidatarem-se a cargos, contudo nossa Organização não possui vínculo partidário e dialoga e estabelece diferentes relações de diálogo ou de parcerias e colaboração, em diferentes frentes, com diferentes partidos políticos, bem como com instituições religiosas, consulados e embaixadas, associações da sociedade civil etc.;
  • Não existe, portanto, nenhuma relação vinculante ou institucional entre a NR e o PDT ou qualquer outro partido político;
  • Em diferentes momentos e contextos, a NR tem, sim, como é público e notório, estabelecido diferentes graus de diálogo com o PDT, assim como com outros partidos e movimentos, tanto da direita nacionalista séria quanto da esquerda patriótica e trabalhista – por exemplo,
    • a NR, representada pelo seu líder nacional Raphael Machado, participou do Congresso Trabalhista (realizado no Sindicato dos Bancários-RJ) e nele inclusive discursou, juntamente com figuras como Leonel Brizola Neto, Vivaldo Barbosa, Roberto Requião e Aldo Rebelo (trabalhistas e nacionalistas de diferentes partidos) e militantes da FNT;
    • a NR também organizou o I Fórum Fluminense de Resistências Patrióticas (na sede do Sindicato dos Petroleiros – Sindipetro-RJ), em parceria com a Mobilização Islâmica (organização da comunidade muçulmana xiita carioca ligada ao Observatório Xiita de Direitos Humanos, entidade que luta contra o terrorismo e a intolerância, e ao Centro Cultural Imam Hussein) – este evento contou com a presença de ativistas brasileiros como Paulo Lindesay (coordenador do núcleo carioca da Auditoria Cidadã da Dívida) e de participantes internacionais;
    • a NR também tem estabelecido diálogo frutífero com o Quinto Movimento, no qual identificamos diversas bandeiras e pautas em comum;
  • Existem, é público e notório, camaradas da NR filiados ao PDT em seus estados, atuando em campanhas, secretarias deste partido e na assessoria de deputados; assim como o mesmo se dá com outros partidos; temos camaradas nossos inclusive eleitos por outros partidos – o que é natural, visto sermos uma organização apartidária e suprapartidária;
  • Em outra ocasião, quando a própria Sra. Letícia Oliveira @bicicreta foi alvo de uma campanha injusta de difamação, nossa Organização não só se solidarizou como lhe ofereceu apoio e prestou-lhe auxílio, em diferentes frentes. Infelizmente, dado o caráter autofágico e o espírito de turba e de “caça às bruxas” que move os movimentos Antifas e Identitários liberais, prevemos que, muito em breve, a Sra. Letícia Oliveira será ela própria novamente alvo.

A Nova Resistência (NR), esclarece, por fim, que:

  • A NR é um movimento comunitarista patriótico, que não no vê nos indivíduos a base da sociedade e sim nas famílias e comunidades, grandes e pequenas, na escala do bairro, regional e da grande comunidade histórica, que é a nação brasileira, inserida numa civilização latino-americana (a Pátria Grande);
  • A NR se vê como herdeira de nomes como Vargas, Perón, Enéas Carneiro e Brizola, e outros nomes do nacionalismo revolucionário no qual se insere;
  • Defendemos os valores religiosos, familiares e populares da nossa civilização latina, sem moralismos, e defendemos as culturas e identidades regionais contra a homogeneização da globalização; defendemos ainda a reforma agrária, a justiça social e o fim da usura e especulação financeira;
  • Sobre velhas acusações requentadas, vide nossas notas anteriores.
  • Por fim, convidamos quem quiser conhecer melhor nossas ideias, que visite nosso site, nossas mídias sociais (Twitter, Instagram e Facebook) e veja este vídeo, no qual camaradas do Brasil inteiro apresentam a NR.

Assim se pronuncia a Nova Resistência! LIBERDADE JUSTIÇA REVOLUÇÃO!

01 de fevereiro de 2022

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *