Nova Resistência realiza seu IIº Congresso Nacional

A Nova Resistência se concentrou entre os dias 9 e 12 de outubro em Cruzeiro, São Paulo, para o seu IIº Congresso Nacional, com dezenas de camaradas de todo o país. Foram dias de aprendizado dedicados a pensar um outro Brasil: maior, melhor, verdadeiramente mítico.

2 anos após a realização de seu Iº Congresso Nacional na capital paulista, que havia reunido 40 camaradas de 9 estados brasileiros, a Nova Resistência realizou seu IIº Congresso Nacional, em outubro de 2021, com 70 camaradas vindos de 15 estados brasileiros. Apesar da pandemia e da crise econômica, dezenas de membros empreenderam o esforço épico para se fazerem presentes no evento mais importante da organização.

Entre os momentos mais interessantes esteve a exibição de vídeos de mensagens enviadas por camaradas do Brasil e do mundo. Além de Ivanzinho de Joventino, membro da Nova Resistência e 1º vereador eleito da organização, enviaram vídeos representantes de vários projetos dissidentes ao redor do mundo. Aleksandr Dugin (Movimento Internacional Eurasiano), Christian Bouchet (Editora ARS MAGNA e fundador da Nouvélle Résistance), Luca Boniardi (Radio Fenice Europa), Enrique D’Acedo (Editora Fides), Maxence Smaniotto (Revista Rébellion [OSRE]), Alejandro Vasquez e Israel Lira (Centro de Estudos Crisolistas e Juventude Nacionalista do Peru), Carlos Salazar (Círculo Patriótico de Estudos Chilenos e Indo-Americanos), José Alsina Calvés (Revista Nihil Obstat), Mickael (Egalité et Réconciliation), Manuel Rezende (Escudo Identitário), Piero Manucci (ex-membro do MSI e de várias outras organizações nacionalistas italianas), Pawel Wieczynski (Xportal) e Paul Antonopoulos (Greek City Times).

Outro evento interessante foi a realização das primeiras Olimpíadas Patrióticas da Nova Resistência, que contou com uma corrida de 2.500m, uma corrida de 100m, salto horizontal, flexão, prancha, braço de ferro, sumô, boxe, submission, cabo de guerra e futebol. Foram distribuídas medalhas de ouro para os ganhadores de suas respectivas modalidades.

Finalmente, entre as palestras e comunicações realizadas ao longo dos três dias fomos do Brasil como Civilização Tradicional, passando por Direito e Quarta Teoria Política, Espírito do Povo, Julius Evola, o Bushido aplicado à Militância, a Militância Dissidente junto à Comunidade, Rio de Janeiro no Imaginário Nacional, Conciliação entre Produção e Conservação Ambiental, Política Alimentar Brasileira, indo até palestras sobre o Círculo Yuzhinsky como Contracultura, Sionismo e Questão Judaica, a Metafísica do I-Ching, Pragmatismo e Política Externa e o Problema dos Semicondutores.

Para além disso, houve várias comunicações voltadas para a formação prática dos camaradas, como um Mini-Curso de Formação de Líderes, uma Mesa sobre o funcionamento operacional das células da Nova Resistência e um Workshop sobre Gerenciamento de Tempo.

De certo, um evento histórico não só para a Nova Resistência como para toda a dissidência nacionalista brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *