O PT é um neoliberalismo com uma pitada de assistencialismo social

As semelhanças entre bolsonaristas e petistas não se limitam apenas ao fanatismo dos defensores do governo Bolsonaro e da era petista. O bolsonarismo é a conclusão do legado petista: ambos aplicam a mesma receita neoliberal com uma roupagem diferente.

O PT é um neoliberalismo com uma pitada de assistencialismo social, apenas isso.

O PT deu mais prioridade aos programas sociais do que ao investimento estrutural da indústria nacional para manter o funcionamento desses programas. O que ele fez foi transferir as receitas arrecadadas pela explosão da exportação de commodities para programas assistencialistas. Ele não fundiu esses programas a uma agenda desenvolvimentista.

Não houve qualquer projeto nos governos petistas direcionados à soberania nacional, ao avanço da indústria nacional ou à proteção do capital nacional frente ao capital internacional.

O PT privatizou bancos e financiou a ampliação dos monopólios bancários e das redes alimentícias.

O PT leiloou o pré-sal. Tentou transferir 60% da exploração da reserva da Bacia de Santos para multinacionais europeias e chinesas.

O PT deu continuidade à privatização de nossa malha ferroviária e colaborou com a extinção da RFFSA, entregando-a para as grandes corporações financeiras.

O PT criou programas habitacionais, mas os entregou para gerenciamento do setor privado imobiliário e de empreiteiras, que optaram por localizações distantes de centros urbanos, dificultando o policiamento no local e a mobilidade para quem trabalha na cidade, gerando mais custos para essas pessoas. Além disso, as empreiteiras optaram por essas localizações para que as redes de abastecimento de água e de transportes públicos fossem estendidas. Um meio de obter mais lucros por contratações de seus serviços.

O PT concedeu mais de 100 milhões de hectares de terras para latifundiários, aumentando o número de propriedades improdutivas. Também entregou milhões de hectares de terras para a exploração de mineradoras estrangeiras no solo amazônico, incluindo regiões de conservação ambiental, contribuindo para o desmatamento.

O PT aumentou em mais de 162% o uso de agrotóxicos proibidos na maioria dos países. Na época, o Brasil se tornou o primeiro consumidor mundial de agrotóxicos.
Os governos do PT foram os que menos fizeram projetos de assentamento para trabalhadores rurais e demarcação de terras indígenas.

O caso é que o petista é o irmão do bolsonarista. Ele também se apega à estética e pega 10% do que o PT fez de bom, anulando os 90% de ações negativas. E no caso do petismo, é a estética “pobrista”, “consumista”, da falsa qualidade de vida do pobre.

O bolsonarismo é a conclusão do legado petista, mas com mudanças estéticas. As fachadas são diferentes, mas ambos aplicam exatamente o mesmo programa neoliberal.

Rhainer Fernandes

Rhainer Fernandes é membro da NR-RJ, católico e estudante de Relações Internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *