O escândalo da Covaxin, o presidencialismo brasileiro e o Centrão

No imbróglio envolvendo Covaxin, Roberto Ferreira Dias, o deputado Miranda e Barros, qual é, de fato, o maior dos problemas de Bolsonaro?

O maior dos problemas do Bolsonaro não é descobrirem um escândalo desse porte no Ministério da Saúde em um governo que ele garantia, de modo completamente hilário, que ”não tinha corrupção”.

E sim que Roberto Ferreira Dias, acusado de pedir propina pra vacina, era o chefe do servidor Miranda, que denunciou o esquema da Covaxin, e indicado direto pra o posto pelo Ricardo Barros, líder do governo na Câmara e que, segundo o deputado Miranda, seria conhecido por Bolsonaro como envolvido em ”rolos” como esse.

Por outro lado, é incrível como o udenismo brazuca se mantém intacto. O mentecapto-mor fez o diabo, mas se bobear vai cair por causa de denúncias aleatórias de corrupção.

O presidencialismo brasileiro, que dizem ser, imagino que ironicamente, ”de coalizão”, não tem chance nos dias atuais se não criarem mecanismos pra desmontar o Centrão.

Evidente que o Parlamentarismo é a pior das soluções no cenário institucional e na cultura política brasileira. Seria o mesmo que entregar a chave do galinheiro pras raposas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *