O capitalismo não cairá por si só

Quem acredita que o capitalismo, algum dia, cairá “de maduro” é ingênuo. Quem acredita que forças invisíveis, como “o progresso”, “o desenvolvimento tecnológico”, etc., levarão o capitalismo ao seu fim é ingênuo e pouco atento para a história.

O liberalismo e sua base material (o capitalismo) já não mostraram um grau de adaptabilidade fenomenal e inaudito, desde suas origens até hoje? O Sistema tem analistas de risco. Esses analistas de risco sugerem mudanças de curso a nível global que permitam a sua eterna sobrevivência.

Risco de insurreição? Welfare State. Risco passou? Neoliberalismo. Quando o FMI, por exemplo, diz que “o neoliberalismo está exagerando”, ele não está sendo bonzinho. Ele só fez uma análise de risco e quer que o neoliberalismo dê uma freiada para não causar caos social excessivo e levar a reviravoltas sociais antiliberais/anticapitalistas.

A noção de que, eventualmente, o capitalismo caia por uma substituição de trabalhadores por robôs em larga escala é falta de imaginação. A literatura futurista distópica, a literatura cyberpunk, já lidam com esses cenários há uns 40-50 anos, mais ou menos. E o que é literariamente imaginado pode e É usado como modelo para especulações filosóficas, estratégias políticas e projeções sociais e econômicas.

O capitalismo é perito em gerar empregos inúteis. Quem vive em uma economia que ao invés de se industrializar resolveu viver de serviços sabe disso.

Leiam mais. Os cenários para um futuro com uma pequena elite afluente, governando tudo (até em cidades flutuantes) e uma grande camada de pessoas na miséria ou à beira da miséria já foram projetados. E eles vem aí.

Só a ação heroica pode matar esse dragão.

Raphael Machado

Advogado, ativista, tradutor, membro fundador e coordenador-geral Nova Resistência, é um dos principais divulgadores do pensamento e obra de Aleksandr Dugin e de temas relacionados a Quarta Teoria Política no Brasil.

Deixe uma resposta