10 Coisas sobre a Líbia de Gaddafi que não querem que você saiba

Ao se falar no nome de Gaddafi o que a maioria das pessoas pensa? Ditador? Tirano? Terrorista? Bem, é assim que a mídia ocidental o tratava.

Ao longo de 41 anos, até a sua morte em 2011, porém, Muammar Gaddafi fez coisas verdadeiramente impressionantes por seu país, elevando-o ao mais próspero e desenvolvido país africano. Ele também tinha planos de integração e desenvolvimento para o resto do continente africano.

E aí o mataram.

Essas são 10 coisas pouco conhecidas sobre a Líbia de Gaddaf

1Na Líbia, um lar era considerado um direito humano natural

No Livro Verde de Gaddafi, ele diz: “A casa é uma necessidade básica do indivíduo e da família, portanto, não deve ser propriedade de terceiros”. O Livro Verde de Gaddafi é a filosofia política formal do líder, e foi publicado pela primeira vez em 1975, com a intenção de ser lido por todos os líbios, sendo até mesmo incluído no currículo nacional.

2Educação e tratamento médico eram todos gratuitos

Sob Gaddafi, a Líbia podia se orgulhar de um dos melhores serviços de saúde do Oriente Médio e da África. Além disso, se um cidadão líbio não podia acessar o curso educacional desejado ou o tratamento médico necessário na Líbia, era financiado para ir para o exterior.

3Gaddafi realizou o maior projeto de irrigação do mundo

O maior sistema de irrigação do mundo, também conhecido como o maior rio criado pelo homem, foi projetado para tornar a água facilmente disponível para todos os líbios em todo o país. Foi financiado pelo governo de Gaddafi e diz-se que o próprio Gaddafi o chamou de “a oitava maravilha do mundo”.

4Era possível iniciar um empreendimento agrícola gratuitamente

Se algum líbio quisesse construir uma fazenda, eles receberiam uma casa, terras agrícolas, gado e sementes, tudo isso gratuitamente.

5Uma bolsa era dada a mães com bebês recém-nascidos

Quando uma mulher líbia dava à luz, ela recebia 5000 (dólares americanos) para si e para a criança.

6A eletricidade era gratuita

A eletricidade era gratuita na Líbia, o que significa absolutamente nenhuma conta de luz!

7Gasolina barata

Durante o reinado de Gaddafi, o preço da gasolina na Líbia chegava tão baixo quanto 0,14 (dólares americanos) por litro.

8Gaddafi elevou o nível educacional

Antes de Gaddafi, apenas 25% dos líbios eram alfabetizados. Esse número foi aumentado para 87%, com 25% obtendo diplomas universitários.

9A Líbia tinha seu próprio banco estatal

A Líbia tinha seu próprio banco estatal, que concedia empréstimos a cidadãos com juros de zero por cento por lei e eles não tinham dívida externa.

10O dinar de ouro

Antes da queda de Trípoli e sua morte prematura, Gaddafi estava tentando introduzir uma moeda única africana ligada ao ouro. Seguindo os passos do grande pioneiro Marcus Garvey, que cunhou o termo “Estados Unidos da África”, Gaddafi queria introduzir e comercializar apenas o dinar de ouro africano – uma ação que teria jogado a economia mundial no caos.

O dinar foi amplamente contestado pela “elite” da sociedade de hoje e quem poderia culpá-los? As nações africanas teriam finalmente o poder de se libertar da dívida e da pobreza e comercializar apenas esse bem precioso. Eles poderiam finalmente dizer “não” à exploração externa e cobrar o que considerassem adequado por recursos preciosos. Foi dito que o dinar de ouro era a verdadeira razão da rebelião liderada pela OTAN, numa tentativa de expulsar o líder revolucionário.

Raphael Machado

Advogado, ativista, tradutor e membro fundador da divisão brasileira da Nova Resistência, é um dos principais divulgadores do pensamento e obra de Aleksandr Dugin e de temas relacionados a Quarta Teoria Política no Brasil.

Deixe uma resposta