Georges Sorel — ‘Saudemos aos revolucionários como os gregos saudaram aos heróis espartanos’

Trecho de Reflexões sobre a Violência (Réflexions sur la Violence), obra clássica da política dissidente e nacional-revolucionária.

***

A violência proletária, exercida como pura e simples manifestação da luta de classes possui um caráter belo e heroico. Serve aos interesses primordiais da Civilização e, até mesmo quando não se configura como uma via adequada para a realização de determinadas aspirações materiais imediatas, tem o potencial de salvar o mundo da barbárie: […] é o tipo de violência da qual o socialismo extrai os mais altos valores morais, através dos quais vêm a salvação do mundo moderno […]

Saudemos aos revolucionários como saudaram os gregos aos heróis espartanos. defensores das Termópilas, e que contribuíram para conservar a luz do mundo antigo.

Georges Sorel

.

Deixe uma resposta