Bruno Garshagen, a borboleta do liberalismo:

Bruno Garschagen alcançou a fama como divulgador de ideias olavianas e agora, para meu desgosto, se revela leitor assíduo, mesmo que relapso, dos meus escritos.  Sem citar a fonte da sua “descoberta”, uma peça ignorada de coluna social que achei, escreveu um texto a respeito dos vínculos entre Soros e sectores da esquerda brasileira:

George Soros, o financiador da esquerda brasileira

Ao contrário do que fazemos, que é expor a verdade na sua totalidade, neste caso, os vínculos de Soros com a esquerda e a direita brasileira, provando a intenção de polarizar a sociedade com o intuito de criar uma fractura, Bruno esqueceu de procurar pelos vínculos de Soros com a direita, a começar pelo seu guru Olavo de Carvalho. A relação entre ele e Olavo poderia ser descrita, sem exagero, como carnal, afinal, Bruno chegou a viver 4 meses com Olavo em Richmond. Sendo assim, deveria começar pela exposição de alguém tão próximo, como já fizemos aqui:

Olavo, Soros e a Conexão Romena

Como sabem os leitores do Prometheo, o mesmo Soros que financiou o site esquerdista Mídia Ninja, e está por detrás das desordens causadas em 2013 no Brasil por sectores da esquerda radicalizada, financiou o golpe nacional-socialista que teve lugar na Ucrânia, o golpe que Olavo de Carvalho, por altura das manifestações direitistas que surgiram no seguimento da desordem causada anteriormente pela esquerda radical e levaram ao impeachment, citava como exemplo a ser seguido no Brasil. Chega a ser caricato que o Bruninho quase que esteve em casa, com Soros, em Richmond, Virgínia.

Mas Bruno, para além de quase ter estado em casa, com Soros, em Richmond, Virgínia, também quase está com Soros nos institutos aos quais está vinculado no próprio Brasil, entre os quais o Instituto Millennium, instituto de propaganda liberal onde é “especialista”. No mesmo Instituto Millennium encontramos entre os membros do conselho de governança o cavalheiro Jorge Gerdau, pai da Beatriz Gerdau que esteve em casa, com Soros. O mesmo Sr. Gerdau, que se encontra entre os mantenedores, tal e qual João Roberto Marinho, vice-presidente da esquerdista Rede Globo (direitista, quando convém…), e Daniel Feffer, da mesma família Feffer que não apenas está ligada a Olavo de Carvalho, como já provamos, mas também teve um dos seus membros, David Feffer, presente na tal reunião em casa, com Soros.

Isso já seria suficiente, caso Bruno fosse um investigador perspicaz, o que não é, ou sério, o que também não é, para lhe abrir os olhos, mas as coisas não ficam por aqui. Para cúmulo do absurdo, no mesmo Instituto Millennium temos, entre os mantenedores, ninguém mais, ninguém menos que Armínio Fraga, sim, o Armínio Fraga que todos sabem que é o braço direito de George Soros para a América Latina e que, inclusive, foi sugerido por Timothy Geithner para presidir o FED durante a presidência de Barack Obama, o anticristo dos liberalóides!

Parece piada, e talvez seja, afinal, só um palhaço usa uma gravata borboleta. Ou não. Talvez queira parecer ainda mais tolo do que realmente é para nos enganar.

Carlos Velasco

Escritor e autor do blog Prometheo Liberto.

Deixe uma resposta