A Sombra da Guerra sobre a Albânia

Criando um novo foco de conflito em potencial, a Albânia está abrigando em seu território o principal grupo terrorista anti-iraniano, os chamados “Mujahideen do Povo”, uma organização terrorista neocomunista financiada pelos EUA.

Não muito tempo atrás, com o ataque de Israel ao consulado da República Islâmica do Irã na Síria, testemunhamos uma flagrante violação das leis internacionais por parte de Israel; este ataque demonstrou mais uma vez que Israel ignora completamente as leis internacionais e não as respeita. Pelo contrário, as insulta e ridiculariza todas e praticamente nenhum país do Ocidente reagiu à questão. Após as negociações da República Islâmica do Irã com as Nações Unidas e o Conselho de Segurança sobre o ataque de Israel ao consulado iraniano, as organizações internacionais nada fizeram para condenar essa ação. Como sabem, o consulado e a embaixada de um país em qualquer parte do mundo fazem parte do território desse país e atacar esses locais é considerado um ataque contra aquele país de acordo com as leis internacionais. O Irã, que praticamente não viu nenhuma ação por parte das organizações internacionais, de acordo com o artigo 51 da Carta das Nações Unidas, em um ato totalmente legal e vingativo, realizou o maior ataque com mísseis e drones já visto no mundo, que infligiu um golpe mortal à sede de Israel e embora países como França, Inglaterra, Jordânia e Estados Unidos tenham tentado fornecer assistência defensiva para repelir mísseis e drones, graves danos foram causados às infraestruturas de Israel e uma dura vingança foi realizada por este regime.

Nos últimos dias, ao examinar a gravidade das operações militares iranianas, os Estados Unidos, que até o ano passado falavam sobre opções militares na mesa, após verem essa vasta e detalhada operação, anunciaram repetidamente que não têm intenção de entrar na tensão entre Irã e Israel. Também anunciaram a Israel para não empreender nenhuma ação contra o Irã e que, em caso de guerra com o Irã, não participariam desse conflito. Se olharmos mais de perto a questão, de acordo com o artigo 51 da Carta das Nações Unidas, o Irã tem o direito de se defender de todas as ameaças e isso inclui países hostis e grupos terroristas que realizam operações contra um país a partir do solo de um terceiro país.

Como sabem, um dos grupos terroristas presentes na lista de FTO ou grupos terroristas estrangeiros dos Estados Unidos até 2012 é o grupo terrorista Mojahedin-e Khalq (MEK). Este grupo entrou na Albânia após a queda de Saddam Hussein em 2016 e desde então tem realizado muitos atos terroristas no Irã. Nos últimos dias, na entrevista concedida pelo embaixador israelense em Tirana, Galit Peleg, à agência de notícias albanesa Top-Channel, a Sra. Peleg respondeu à pergunta do apresentador que, no meio da entrevista, perguntava: “A Albânia está em perigo já que a oposição iraniana (MEK) é hospedada pela Albânia? Sabemos que eles atacaram os sites do nosso governo. A Albânia está em perigo?”.

A Sra. Peleg respondeu: “Como você disse, a Albânia está em perigo. A Albânia foi atacada tecnologicamente pelo Irã. A Albânia é o alvo do Irã. Se mísseis forem lançados, eles chegarão aqui. Israel está protegido. Mas se perdermos a guerra, que é uma guerra para a comunidade internacional, a Albânia está dentro do alcance. Vocês sofreram um ataque cibernético, mas podem enfrentar outros ataques no futuro”.

As conversas da Sra. Galit Peleg, embaixadora israelense em Tirana, a capital da Albânia, mostraram claramente que a Albânia enfureceu o Irã por hospedar um grupo terrorista chamado Mujahedin-e Khalq; o líder deste grupo, Masoud Rajavi, disse em seu discurso no mês passado que o MEK realizou mais de 3.000 operações terroristas no Irã e este é um claro documento de que este grupo não está limitado apenas na Albânia, mas encontrou um refúgio seguro neste país para realizar suas atividades terroristas no Irã. Como mencionado anteriormente, de acordo com o artigo 51 da Carta das Nações Unidas, o Irã pode responder a qualquer ameaça em qualquer país de forma totalmente legal e não importa onde esse país esteja no mundo ou se é membro da OTAN ou não.

No último ano, a República Islâmica do Irã respondeu vigorosamente a todas as ações dos grupos terroristas que a cercam, independentemente do país em que o grupo esteja, seja no Iraque, Síria, Paquistão ou Afeganistão. Isso mostra que o Irã leva a sério suas questões de segurança e demonstrou repetidamente sua capacidade de atacar até mesmo as bases militares dos Estados Unidos sem hesitação. Atualmente, o Irã está monitorando e avaliando ativamente o grupo terrorista MEK em Durazzo, e segundo observações e declarações de autoridades iranianas, é hora de destruir o MEK na Albânia.

Segundo os funcionários militares iranianos, o país deixou de lado sua paciência estratégica e está pronto para enfrentar qualquer ameaça ou ato terrorista nos quartéis-generais dos terroristas em vários países o mais rápido possível. O Irã tem repetidamente emitido os avisos necessários à Albânia e solicitado que este país encerre suas atividades removendo as paredes do campo Ashraf 3 na cidade de Durazzo, na Albânia, e concedendo aos membros desse grupo o direito de viver como cidadãos entre o povo albanês e encerrar sua prisão no presídio de Ashraf. Somente assim poderão viver suas vidas sem cometer mais atos terroristas no Irã. Enquanto o grupo terrorista do MEK continuar operando na Albânia, a sombra da guerra estará sempre sobre este país, e desta vez os mísseis e drones iranianos estão muito próximos à Albânia, e pode não haver mais tempo. A experiência e documentos da guerra na Ucrânia mostraram que até os Estados Unidos facilmente retiram seu apoio aos países que os apoiam e os deixam sozinhos, por isso meu conselho às autoridades albanesas é tomar a decisão certa antes que seja tarde demais. O Irã de hoje não é mais o de antigamente e agora é um leão acordado.

Desde a chegada do MEK à Albânia, a população deste país tem enfrentado um fenômeno chamado Estado dentro do Estado, onde o Mojahedin-e Khalq facilmente quebrou a lei usando seu dinheiro para assumir elementos influentes no governo albanês, especialmente Edi Rama.

Edi Rama, entregando seu país ao grupo terrorista popular Mojahedin-e Khalq, responsável pela morte de mais de 17.000 iranianos inocentes, expulsão de diplomatas iranianos e fechamento da embaixada deste país sem qualquer prova, e reunindo todos os grupos anti-iranianos na Albânia, declarou guerra à República Islâmica do Irã e não deixou nenhum caminho de volta para si mesmo. O Irã não brinca com nenhum outro país, nem mesmo com os Estados Unidos. Após o assassinato do general Soleimani pelos Estados Unidos, o exército iraniano bombardeou o maior quartel-general dos Estados Unidos no Iraque, Ain al-Assad, mostrando ao mundo que não brinca com nenhum país na defesa de suas posições. No entanto, vimos que nem os Estados Unidos foram capazes de declarar guerra ao Irã e Israel, que agora se vê sozinho e cercado pelo Hezbollah do Líbano e pelos Houthi do Iêmen, temendo enfrentar o Irã e pretendendo atacá-lo indiretamente colaborando com o MEK.

Como vimos, o assassinato dos cientistas nucleares iranianos foi resultado da cooperação do Mojahedin-e Khalq com o Mossad de Israel. De fato, a Albânia, um país com um povo pacífico, graças a seus funcionários, tornou-se o quartel-general de organizações terroristas, e agora, com a presença do MEK, que tem 3000 membros estacionados na Albânia, a população deste país sente mais do que nunca a sombra da guerra e da destruição. Repito minha mensagem às autoridades albanesas: “AJAM RAPIDAMENTE, ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS”.

Fonte: Idee&Azione

Imagem padrão
Jack Turner
Artigos: 48

Deixar uma resposta