10 Considerações sobre o Caos na França

Enquanto Macron se desespera, a França afunda no caos, com bandos armados trocando tiros nas ruas e as forças de segurança com mãos amarradas sem poder restabelecer a ordem.
  1. Os países não são vasos de terra onde se podem transplantar indivíduos de um para outro.
  2. Ninguém se importa em destruir um país com o qual não tem laços emocionais, históricos ou culturais.
  3. A ralé nos subúrbios não prega o Islã, e sim saqueia lojas de roupas ou eletrônicos.
  4. As massas desenraizadas nunca criam raízes em outro país e geram conflitos perpétuos.
  5. O sistema capitalista alimenta conflitos interétnicos para apagar os países.
  6. Se um partido populista não for anticapitalista, seu protesto contra as massas desenraizadas é mero racismo.
  7. Capitalismo é desenraizamento. Primeiro, ele desenraizou as pessoas em seu próprio país do campo para a cidade, agora do terceiro mundo para o primeiro.
  8. A tendência atual é a prova da submissão dos governos ao mercado global.
  9. Um sistema político se baseia na legitimação social. Sem consenso, não pode haver democracia.
  10. Os racistas não enxergam além de seu nariz, quando não veem que o mesmo sistema que usa a mão de obra africana, usou a mão de obra europeia em seus primórdios: ele já rompeu todas as fronteiras.

E é por isso que voltamos ao ponto 1: seu objetivo é fazer de cada país um pote de terra, indiferenciado, onde eles possam colher seus benefícios. É por isso que é necessário quebrar seu povo, sua cultura e sua identidade.

Imagem padrão
Jordi Garriga

Colaborador em diversos meios de comunicação espanhóis e de outros países como autor, tradutor e organizador. Ensaísta, publicou vários livros sobre assuntos históricos, políticos e filosóficos. Tem sido militante e político nas Juntas Espanholas e no Movimento Social Republicano.

Artigos: 27

Deixar uma resposta