Alexander Dugin: Castro como geopolítico, defensor da identidade e guerreiro contra a hegemonia estadunidense

Alexander Dugin ilumina a razão da Rússia ter inaugurado um monumento a Fidel Castro em seu próprio território.

Por Natalia Makeeva

A inauguração de um monumento ao líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, em Moscou, é um lembrete de seu papel na história de toda a humanidade, não apenas da América Latina. O líder do “Movimento Eurasiano” internacional, o filósofo Alexander Dugin, que participou da cerimônia no distrito de Sokol, em Moscou, disse à Agência Federal de Notícias:

Fidel Castro está associado principalmente ao movimento comunista, mas além disso, foi o maior herói da luta por uma identidade latino-americana, por uma civilização sul-americana independente do Ocidente. E se olharmos para a ideologia de Castro, e especialmente de seu colaborador mais próximo, Ernesto Che Guevara, vemos nele, além da luta contra o capitalismo, além do dogma marxista comunista, também aspectos nacionalistas muito profundos. E aqui não havia um ateísmo rígido como em outros regimes comunistas, havia uma compreensão da peculiaridade da cultura latino-americana, completamente diferente da civilização anglo-saxônica dos Estados Unidos.

O interlocutor destacou ainda que Castro foi um dos maiores geopolíticos do século XX:

Na realidade, ele esboçou o possível destino do continente latino-americano livre dos Estados Unidos e orientado para a Eurásia, para a civilização da terra, ou seja, Cuba era uma ilha que estava do lado da civilização terrestre, e a geopolítica opera com as noções de “civilização do mar” e “civilização da terra”, e aqui Castro foi quem na América Latina levantou a bandeira da civilização terrestre contra a civilização marítima. No caso de Cuba, a aliança com a União Soviética teve uma dimensão ideológica e geopolítica. E, é importante que os preceitos e princípios de Castro, que ele estabeleceu em sua política e que se tornaram uma estrela guia para Cuba mesmo depois de sua morte, depois que ele se aposentou, preservem essa continuidade geopolítica, para que Cuba continue sendo um aliado da Rússia moderna, A Rússia, aliada e amiga de Cuba, fora do contexto ideológico, fora do marxismo

Portanto, segundo Alexander Dugin, a missão de Castro vai além dos limites do movimento comunista, é uma enorme contribuição histórica que ele deu para o destino da humanidade, e a inauguração do monumento em Moscou sublinha esse aspecto universal da missão de Fidel Castro.

E este é um monumento a um amigo da Rússia, um monumento a um grande guerreiro por um mundo multipolar justo e um herói da civilização latino-americana que continua lutando por sua liberdade e independência da hegemonia norte-americana hoje.

Recordemos que em 22 de novembro de 2022, um monumento ao líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, foi inaugurado na praça de mesmo nome em Moscou pelos presidentes Vladimir Putin e Miguel Díaz-Canel Bermúdez.

Fonte: Geopolitika.ru

Imagem padrão
Nova Resistência

Organização nacional-revolucionária que, com base na Quarta Teoria Política, busca restaurar a dignidade imperial do povo brasileiro.

Artigos: 593

Deixar uma resposta