Terroristas Salafistas da Síria e do Iraque estão sendo transferidos para lutar na Ucrânia

Demonstrando total desprezo pelos civis ucranianos e por uma solução razoável para o conflito, agências de inteligência de países envolvidos no conflito sírio estão organizando a transferência de terroristas salafistas para lançar contra os russos (e contra o povo ucraniano) na Ucrânia.

Ontem à noite, foi realizada uma reunião entre oficiais da inteligência turca e o líder da organização “Frente Al-Nusra”, classificada na lista de terrorismo internacional, “Abu Muhammad al-Jolani”, na qual eles falaram em acelerar o processo de transferência de militantes para lutar na “Ucrânia”.

O conselheiro do Centro de Reconciliação Sírio-Russo, Professor Fadi Ismail, explicou que a reunião foi realizada perto da passagem “Deir Ballout”, que separa a zona rural de Aleppo e Idlib, e contou com a presença de oficiais da inteligência turca, durante a qual “Al-Jolani” exigiu agilizar o processo de transferência, especialmente em relação aos militantes do “Exército Nacional” em particular, que estão localizados nas áreas do norte de Aleppo, e que têm sérias diferenças com a “Frente Al-Nusra”.

Ele também disse que o objetivo do pedido de al-Jolani para acelerar a transferência do “Exército Nacional” para a Ucrânia, está resumido nos esforços de “Al-Nusra” e da Turquia de se livrar dos militantes indesejados no norte de Aleppo, e enfraquecer a influência e a força do Exército Nacional, e assim facilitar para “Al-Nusra” o controle das áreas do campo do norte de Aleppo e anexá-los às suas áreas de influência no Idlib.

Há alguns dias, as forças turcas começaram a recrutar os militantes das facções apoiadas por elas para enviá-los à Ucrânia contra as forças russas, quando as autoridades turcas deram ordens aos líderes das facções para preparar listas dos nomes dos militantes que serão transferidos no primeiro lote e abrir o registro para aqueles que desejam lutar na Ucrânia.

Semelhante ao conflito líbio e à guerra entre Armênia e Azerbaijão, a inteligência turca forneceu tentações financeiras para atrair os militantes, prometendo-lhes salários mensais de até 6 mil dólares. Assim, os escritórios, que foram abertos por várias facções, começaram a receber os militantes numa época em que Ancara ainda não informou aos líderes das facções sobre a época do início da transferência de lotes de militantes.

Fonte: SouthFront

Imagem padrão
Khaled Iskef

Jornalista sírio da rede AlMayadeen.

Artigos: 120

Deixar uma resposta