Os Desafios da Guerra na Ucrânia: Uma Perspectiva Metafísica

Se engana quem acha que a questão ucraniana trata de mera disputa de interesses. Ou mesmo que essa é uma guerra entre Rússia e Ucrânia. Por trás desse conflito, como sempre, aparecem princípios metafísicos opostos que conduzem as forças em choque em um confronto que remonta aos primórdios da civilização humana.

Com o lançamento da vasta operação militar russa em território ucraniano, o mundo inteiro entrou em uma fase decisiva em sua história. E como a história não é um desdobramento mecânico, implacável e fatalista de eventos sem sentido, permanecendo aberta a uma infinidade de opções e probabilidades, determinadas pela vontade divina, o fim desta grande batalha é incerto.

A humanidade inteira parece ser tomada pelo turbilhão de elementos de uma força irresistível, pelo poder cego de contradições insuperáveis, cuja libertação não pode ter outro resultado que o de uma luta até a morte entre dois mundos, entre duas visões de vida. Este confronto planetário não parece deixar espaço para um fim onde os dois lados possam chegar a um acordo. Cada um dos beligerantes aspira à aniquilação final do inimigo.

Atrás do plano estreito dos dois campos em guerra encontram-se duas visões antagônicas e diametralmente opostas do mundo e da vida. É um grande choque de civilizações radicalmente diferentes, o que só pode ser afirmado em contraste com o modelo oposto. No centro desta batalha irreconciliável estão dois modelos civilizacionais. De fato, duas civilizações que diferem marcadamente.

Aqui está o perfil de identidade desses dois mundos de um ponto de vista metafísico:

  • Civilização Telurocrática versus Civilização Talassocrática;
  • Civilização da Terra versus Civilização do Mar;
  • Civilização Continental versus Civilização Oceânica;
  • Civilização da clareza celestial versus Civilização da escuridão marinha;
  • Civilização Estável versus Civilização Inconstante;
  • Civilização Vertical versus Civilização Horizontal;
  • Civilização da Tradição versus Civilização da Modernidade;
  • Civilização da Cruz versus Civilização da Usura;
  • Civilização da salvação versus Civilização da Perdição;
  • Civilização Solar versus Civilização Lunar;
  • Civilização do Amor versus Civilização do Ódio;
  • Civilização da Transcendência versus Civilização da Imanência;
  • Civilização do Espírito versus Civilização da Matéria;
  • Civilização da Masculinidade versus Civilização do Feminismo Ginecocrático;
  • Civilização Religiosa versus Civilização Ateia;
  • Civilização do Sagrado versus Civilização do Profano;
  • Civilização do Misticismo versus Civilização do Gnosticismo;
  • Civilização Criacionista versus Civilização Evolucionista;
  • Civilização do Cristocentrismo versus Civilização do Antropocentrismo;
  • Civilização Orgânica versus Civilização Niilista;
  • Civilização Natural versus Civilização Mecânica;
  • Civilização da Fé versus Civilização do Cientificismo;
  • Civilização das Transformações Lentas versus Civilização das Rupturas Revolucionárias;
  • Civilização Luminosa do Espírito versus Civilização Monótona da Matéria;
  • Civilização da Vida versus Civilização da Morte;
  • Civilização da Dádiva versus Civilização do Dinheiro;
  • Civilização Contemplativa versus Civilização Utilitarista;
  • Civilização da Honra versus Civilização dos Juros;
  • Civilização do Espírito de Sacrifício versus Civilização do Hedonismo;
  • Civilização dos Heróis versus Civilização dos Mercadores;
  • Civilização dos Santos versus Civilização dos Ídolos;
  • Civilização do Culto do Trabalho versus Civilização do Lucro Parasitário;
  • Civilização Rural versus Civilização Urbana;
  • Civilização da Moderação versus Civilização do Excesso;
  • Civilização do Natural versus Civilização da Tecnocracia;
  • Civilização da Harmonia versus Civilização do Caos;
  • Civilização da Beleza versus Civilização do Abominável;
  • Civilização da Família versus Civilização da Perversão Sexual;
  • Civilização da Lealdade versus Civilização da Promiscuidade;
  • Civilização da Moralidade versus Civilização da Depravação;
  • Civilização da Fertilidade versus Civilização da Esterilidade;
  • Civilização do Sentido versus Civilização do Absurdo;
  • Civilização da Decência versus Civilização da Indecência;
  • Civilização do Gênio Humano versus Civilização da Inteligência Artificial;
  • Civilização do Homem contra Civilização do Transumanismo.

Esta batalha, portanto, não é entre dois países, mas entre duas formas de viver e de interpretar a vida. E nesse caso, importa menos se todos do lado da Rússia estão ou não cientes de sua missão civilizadora. Não poderia ser de outra forma, pois este país, dotado de uma grande missão histórica, sofreu dois grandes choques civilizacionais: a experimentação comunista e a experimentação liberal. Mas apesar destes traumas históricos, os arquétipos ancestrais, o dom espiritual bizantino, os códigos culturais continentais foram preservados nas profundezas do inconsciente coletivo. Além dos traumas históricos, da anquilose e dos tiques ideológicos obsoletos, está o vigor regenerativo de uma nação que não abandonou sua vocação de fazer história e perdurar no tempo.

A luta convulsiva de toda a humanidade como se estivesse à beira da morte inexorável começou há dois anos, com o lançamento da fase final da conspiração oculta que visava o despovoamento do planeta. Nada parecia ser capaz de reverter o curso dos acontecimentos. Mas será que esta guerra pode agora deter o genocídio global e acabar com o assassinato em massa por injeção, ou irá simplesmente acelerar o fim implacável da civilização humana?

Nossas orações são dirigidas ao nosso bom Deus para permitir a vitória das forças da luz e para nos dar um pouco mais de tempo para viver. Diante de uma morte iminente, estamos sempre em uma crise de tempo para nos arrependermos.

Nossa esperança é que a tragédia sangrenta da guerra na Ucrânia não apresse o fim do mundo, mas apenas o fim deste mundo caído, para ser seguido por um novo começo.

PS: E aqueles que ainda hesitam, sem saber a que lado da linha de frente enviar sua simpatia, seria bom lembrar apenas algumas figuras monstruosas que estão no campo dos pacifistas antirrussos: o predador financeiro e o oligarca sujo George Soros, a superestrela satânica Madonna e Marina Abramović, famosa por suas sinistras improvisações artísticas com rituais satânicos de canibalismo, assassinatos de bebês, perversões sexuais, etc., sendo esta pessoa demoníaca intimamente ligada ao clã Illuminati dos Rothschild.

Todo o exército de mercenários de todo o mundo, que há dois anos se juntou à trama Covid-19, usando suas máscaras protetoras e nos chamando para nos injetar, agora usa outra máscara, a de amantes da paz e ao mesmo tempo aliados dos guerreiros de Kiev. Por trás dessas máscaras esconde-se o sorriso feio das forças globalistas do mal.

Fonte: Geopolitica.ru

Iurie Rosca

Jornalista, escritor e político moldavo.

1 Comment

  1. No Brasil 80% dos leitos das UTI na onda ômicron foram ocupadas por pessoas não vacinadas. E vcs vão defender a Rússia com esse maniqueísmo pueril, delirante e negacionista? Já perderam!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *