O Ocidente se tornou o “Terceiro Mundo”

Escrito por Andrei Vltchek
Desigualdades sociais crescentes, controle do discurso por meio do politicamente correto, dívidas cada vez maiores, cada vez menos empregos estáveis, uma mídia que não cessa de produzir propaganda de guerra contra outros países, o número de mendigos disparando, e a crise dos opioides ceifando milhares de vidas por ano. O Ocidente se tornou o Terceiro Mundo.

Muitos já devem ter notado: os EUA realmente não se sentem como o líder mundial, ou mesmo como um ‘país do primeiro mundo’. É claro que escrevo isso de maneira sarcástica, pois detesto expressões como “primeiro mundo” e “terceiro mundo”. Mas os leitores sabem o que quero dizer.

Pontes, metrôs, cidades do interior, tudo está desmoronando, desmoronando. Quando eu morava na cidade de Nova York, mais de duas décadas atrás, retornar do Japão era chocante: os EUA pareciam um país pobre e privado, cheio de problemas, miséria, pessoas confusas e deprimidas, pessoas sem-teto; em suma – desesperados. Agora, sinto o mesmo quando chego aos EUA depois de passar algum tempo na China.

E fica muito pior. O que o Ocidente costumava acusar a União Soviética agora é claramente detectável nos Estados Unidos e no próprio Reino Unido: a vigilância está em todas as partes hoje em dia; em Nova York, Londres, Sydney e até no interior. Todo movimento que uma pessoa faz, toda compra, todo clique no computador são registrados; em algum lugar, de alguma forma. E esse monitoramento, na maioria das vezes, não é ilegal.

A fala é controlada pelo politicamente correto. Alguém nos bastidores decide o que é aceitável e o que não é, o que é desejável ou não e até o que é permitido. Você comete um ‘erro’ e está fora; das posições de ensino nas universidades ou dos meios de comunicação.

Em tais condições, o humor não pode prosperar e a sátira morre. Não é diferente do fundamentalismo religioso: você é destruído se “ofender”. Em tais circunstâncias, os escritores não podem escrever romances inovadores, porque os romances verdadeiros ofendem por definição e sempre ultrapassam os limites. Como resultado, quase ninguém mais lê romances.

Apenas o ‘desdentado humor controlado’ é permitido. Nenhum discurso pode ser administrado intuitivamente. Tudo tem que ser calculado com antecedência. Nenhuma ficção política “ultrajante” pode passar pela “censura invisível” no Ocidente (e, portanto, o estilo romance está praticamente morto). Quem lê em russo ou chinês sabe perfeitamente bem que a ficção na Rússia e na China é muito mais provocativa e de vanguarda.

No Ocidente, a poesia também morreu. E o mesmo acontece com a filosofia, que foi reduzida a uma disciplina acadêmica chata, obsoleta e indigesta.

Enquanto Hollywood e a mídia de massa continuam produzindo, incansavelmente, todo tipo de lixo racista altamente insultuoso e estereotipado (principalmente contra chineses, russos, árabes, latinos e outros), grandes escritores e cineastas que querem ridicularizar o regime ocidental e sua estrutura, já foram silenciados. Você só pode humilhar os não-ocidentais de uma maneira que seja aprovada (novamente: em algum lugar, de alguma forma), mas Deus o livre, você se atreve a criticar as elites pró-ocidentais que estão arruinando seus países em nome de Londres e Washington, no Golfo, Sudeste Asiático ou África – isso seria ‘paternalista’ e ‘racista’. Um ótimo arranjo para o Império e seus servos, não é?

Todos sabemos o que aconteceu com Julian Assange e Edward Snowden. No Ocidente, as pessoas estão desaparecendo, sendo presas, censuradas. Milhões estão perdendo empregos: na mídia, editoras e estúdios de cinema. A era da Guerra Fria parece ser relativamente “tolerante”, em comparação com o que está ocorrendo agora.

As mídias sociais constantemente reprimem indivíduos “desconfortáveis”, meios de comunicação “inaceitáveis” e pensamentos “pouco ortodoxos”.

Viajar se tornou um campo de treinamento. É aqui que eles quebram você. Mova-se pelos aeroportos ocidentais e você encontrará o vulgar e insultante “securistan”. Agora, não é esperado que você abaixe a calça, se solicitado, ou tire os sapatos, ou jogue fora todas as garrafas que contêm líquidos: espera-se que você sorria, que sorria brilhantemente, como um idiota. Você deve mostrar como está ansioso e cooperativo: responder em voz alta, olhando diretamente nos olhos de seus atormentadores. Se você for humilhado, seja educado. Se você quer voar, mostre que está desfrutando dessa humilhação estúpida e inútil, administrada por uma e única razão: quebrar você, torná-lo patético e submisso. Para ensinar a você onde você realmente pertence. Se não, se não! Todos sabemos o que acontecerá se você se recusar a “cooperar”.

Agora, eles usarão a desculpa de que tudo isso é para seu próprio bem. Não será pronunciado, mas você sentirá: ‘você está sendo protegido daqueles horríveis monstros do Terceiro Mundo, loucos, pervertidos’. E, é claro, de Putin, dos comunistas chineses, do açougueiro Maduro, de Assad, ou dos fanáticos xiitas iranianos.

O regime está lutando por você, cuida de você, está protegendo você.

Claro, se você mora no Reino Unido ou nos EUA, as chances são de que você esteja endividado, deprimido e sem perspectivas para o futuro. Talvez seus filhos estejam com fome, talvez, nos EUA, você não possa pagar pelo atendimento médico. Muito provavelmente, você não pode pagar por moradia em sua própria cidade. Talvez você seja forçado a ter dois ou três empregos.

Mas, pelo menos, você sabe que seus ‘sábios líderes’ na Casa Branca, no Congresso, no Pentágono e nas agências de segurança estão trabalhando dia e noite, protegendo-o de inúmeras conspirações, de ataques cruéis do exterior e dos chineses e russos, que estão ocupados construindo sociedades progressistas e igualitárias.

Sorte a sua!

Exceto: algo não está se encaixando aqui. Por anos e décadas, você foi informado de como era livre. E quão oprimidos e desprovidos de liberdade são aqueles contra quem você está sendo protegido.
Disseram a você o quão rico você é e o quão miseráveis os “outros” eram.

Para deter essas hordas de pessoas carentes e perturbadas, algumas medidas sérias tiveram que ser aplicadas. Um esquadrão da morte de direita em algum país da América Central ou do Sudeste Asiático teve que ser treinado em campos militares dos EUA; um monarca completamente absolutista e corrupto precisava ser apoiado e mimado; um golpe fascista militar teve que ser arranjado. Milhões de estupros, dezenas de milhares de cadáveres. Não é nada bonito, mas você sabe… é necessário. Para seu próprio bem, cidadãos norte-americanos ou europeus; para o seu próprio bem…. E para o bem do país que designamos para nossa ‘libertação’.

Alguns dissidentes no Ocidente protestam há décadas. Ninguém prestou muita atenção neles. A maioria ficou “desempregada” e foi silenciada pela miséria e pela incapacidade de pagar suas contas básicas.
Mas de repente… O que aconteceu de repente? Porque algo realmente aconteceu …
O Império se cansou de saquear exclusivamente as partes não ocidentais do mundo.

Bem condicionado, com lavagem cerebral e medo, o público ocidental começou a ser tratado com o mesmo despeito, como as pessoas nas partes saqueadas e miseráveis do mundo. Bem, ainda não, não exatamente. Ainda existem algumas diferenças essenciais, mas a tendência está definitivamente aí.

O público ocidental não pode fazer muito para se proteger, realmente. O regime sabe tudo sobre todos: espiona todos os cidadãos: onde anda, o que come, onde dirige, voa, o que observa, consome, lê. Não há mais segredos.
Você é ateu? Não há necessidade de ‘confessar’. Você está confessando a cada minuto, com cada clique no computador, pressionando o botão do controle remoto ou fazendo compras na Amazon.

O Big Brother está assistindo? Ah não; agora há uma vigilância muito mais detalhada. O Big Brother está assistindo, gravando e analisando.

O general Pinochet do Chile costumava se gabar de que, nenhuma folha poderia se mover sem seu conhecimento. O velho desgraçado estava se gabando; exagerando. Por outro lado, os governantes ocidentais não dizem nada, mas sabem claramente o que estão fazendo. Sem o conhecimento deles, nada se move e ninguém se move.
Chegando da China, da Rússia ou Cuba, a primeira coisa que me impressiona é os quão disciplinados, obedientes e assustados, os europeus e os norte-americanos realmente são. Eles inconscientemente sabem que estão sendo controlados e não podem fazer nada a respeito.

Quando os trens atrasam ou são cancelados, eles murmuram timidamente maldições meio audíveis. Seus benefícios médicos são reduzidos; eles aceitam ou cometem suicídio silenciosamente. Sua infraestrutura pública desmorona; eles não dizem nada, enquanto se lembram dos ‘bons velhos tempos’.

Por que sinto esperança, quando rio com as pessoas na Cidade do México, Joanesburgo ou Pequim? Por que há tanto calor nas cidades geograficamente frias de Vladivostok ou Petropavlovsk em Kamchatka? Por que o povo de Londres, Paris e Long Angeles parece tão preocupado, tão deprimido?

Alguns países historicamente pobres estão em ascensão. E as pessoas de lá demonstram apreço por cada pequena melhoria. Nada é mais bonito que otimismo.

O Ocidente lutou contra o tão chamado “terceiro mundo” por muitas e longas décadas; oprimindo, atormentando, saqueando, violando seu povo. Isso os impediu de escolher seus próprios governos. Agora está passando dos limites: está tentando controlar e oprimir o mundo inteiro, incluindo seus próprios cidadãos.

Como vários países do mundo inteiro estão se recuperando, resistindo às pressões de Washington, Londres, Paris e Berlim, as pessoas no Ocidente estão sendo cada vez mais tratadas por seus governos com o despeito que costumava ser reservado exclusivamente para as nações “subdesenvolvidas” (sim, outra expressão repugnante).

Claramente, o Ocidente “aprendeu de si mesmo”.

Enquanto países como Rússia, China, Vietnã, México, Irã e outros estão avançando, muitos impérios colonialistas e neocolonialistas anteriormente ricos estão começando a se parecer com o “Terceiro Mundo”.
Hoje em dia, é muito triste ser escritor em Nova York ou em Londres. Assim como é assustador ser pobre. Ou sendo diferente. Em todo o mundo, os papéis estão sendo invertidos.

Link para o original: The West Oppressed the Third World for So Long It Became the Third World Itself

1 Comment

Deixe uma resposta