A Sociedade Aberta contra os Populistas: A Repressão Global Começou

Escrito por Pierre Antoine Plaquevent
O ano da pandemia também tem visto um recrudescimento das perseguições, nos países ocidentais, daqueles que questionam os dogmas das sociedades abertas. Conforme a decadência de seus países acelera, e o povo começa a questionar cada vez mais o consenso liberal hegemônico, os governos e corporações ocidentais lançam mão de normas obscuras e brechas jurídicas para desatar uma perseguição virulenta contra as vozes que defendem um populismo antiliberal.

A versão francófona do poder globalista está entrando em ação. O poder profundo está aproveitando a depressão social e a confusão generalizada causada pelo confinamento político e agora pelo circo em torno do uso de máscaras para prender a figura mais emblemática e conhecida da dissidência política contemporânea na França: Alain Soral. É claro que a recente nomeação do poser anti-racista Dupond-Moretti (que gostaria, entre outras coisas, de proibir o RN) não é estranha a isto, ele está lá para limpar a bagunça e ele o fará. Se Alain Soral for jogado na prisão enquanto a escória ataca e assassina todos os dias com impunidade em nossas ruas, é claro que teremos que apoiá-lo e nos organizar de acordo. Devemos ter em mente uma coisa, o atual poder ilegítimo que reprimiu impiedosamente os Coletes Amarelos irá amordaçar metodicamente (a máscara sempre) todas as vozes dissidentes, aqui todos os patriotas estão preocupados, todas as sensibilidades e opiniões combinadas. Por um lado, este poder ilegítimo reprimirá os verdadeiros populistas (nós, os populistas saídos do povo) e, por outro lado, permitirá que um sucedâneo do soberanismo midiático autorizado e apoiado pela CNews surja com Zemmour, Onfray, Praud e outros editorialistas encarregados de manchar nossos rostos amordaçados com sua sopa quente enquanto todos nós estamos ocupados sobrevivendo economicamente em meio à guerra civil rampante e ao estado de emergência permanente. Já é hora de compreendermos que não haverá retorno à normalidade pós-covid.

A limpeza globalista da mídia não-alinhada está ocorrendo simultaneamente para todos os populistas ativos no mundo na internet. Nos Estados Unidos, que está atualmente passando por uma revolução anti-Trump, até mesmo colunistas da Fox News como Tucker Carlson estão passando por censura no YouTube e nas redes sociais. Este é um fenômeno e uma guerra global está sendo travada contra nós. Recentemente, os canais no YouTube do site geopolitica.ru e o canal no YouTube de Alexander Dugin foram suspensos, assim como o canal ortodoxo Tsargrad (o nome de Constantinopla para os ortodoxos russos conservadores), que tinha mais de 1 milhão de assinantes. Primeiro vem a limpeza da mídia, depois vem a limpeza judicial e política, onde as redes globalistas são livres para operar como operam na França. Todos nós estamos preocupados, como já expliquei muitas vezes, a “sociedade aberta” terá que se tornar um projeto totalitário a fim de frear as tendências centrífugas e as contradições internas geradas por sua progressão dentro das sociedades que ela parasita a partir de dentro.

Como o comunismo no passado, ele terá que se transformar em um leviatã global a fim de lutar contra o retorno de leviatãs nacionais ou continentais como concorrentes na conduta política da humanidade contemporânea. Unipolaridade globalitária versus multipolaridade não-alinhada: é uma luta global, uma luta total, a luta geosófica de nosso tempo. Uma luta que envolve todos os conservadores genuínos em todas as partes do mundo.

Portanto, teremos que nos unir para sair da apatia e do torpor da escravidão biopolítica que está tomando forma em nível planetário.

Vamos ter que nos organizar e coordenar a nível nacional e internacional, como Iurie Rosca começou no fórum de Chisinau na Moldávia. Caso contrário, o globalismo político nos perseguirá um após o outro em todo o mundo e nos esmagará como presas dispersas e assustadas sem piedade. Pois sua visão do mundo é bastante clara e resumida: “nem perdão nem esquecimento”, como eles dizem.

Portanto, deixemos de andar em círculos como escravos espirituais deprimidos e voltemos a ser senhores de nossos destinos e de nossos espíritos. Como disseram os estóicos romanos: “O destino carrega o homem de boa vontade, e arrasta o homem sem vontade” “Ducunt volentem fata, nolentem trahunt”.

Não é como se tivéssemos escolha. Como o cientista político Julien Freund costumava nos lembrar: “É o inimigo que te escolhe. E se ele quiser que você seja seu inimigo, você pode fazer os mais belos protestos de amizade para ele. Enquanto ele quiser que você seja seu inimigo, você é seu inimigo. E ele até o impedirá de cultivar seu próprio jardim”.

Sim, mesmo seu jardim, a sua base autônoma durável … De toda a eternidade a paz só existe à sombra da espada e, portanto, da política.

Um pensamento, uma oração até, para apoiar Alain Soral injustamente preso por um poder corrompido até a medula e que nos quer de joelhos ou na prisão.

Fonte: Strategika

Deixe uma resposta