Daciolo sobre o Jejum: ‘O verdadeiro jejum é soltar as correntes da injustiça’

Evangélico e opositor de figuras como Silas Malafaia, Feliciano e Edir Macedo, Daciolo publicou seu posicionamento sobre o evento.

O ex-deputado federal e ex-presidenciável pelo PATRIOTA, Cabo Daciolo, se posicionou nas redes sociais sobre o “Jejum Nacional” convocado para este domingo (5) por lideranças neopentecostais com o intuito de diminuir os índices de rejeição de Bolsonaro – em queda após as recentes omissões do Governo na contenção dos efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Evangélico, o militar questionou a convocação e citou um trecho da Bíblia extraído do livro do Santo Profeta Isaías, seguido de seu característico “Glória a Deus!”:

 

4 Seu jejum termina em discussão e rixa, e em brigas de socos brutais. Vocês não podem jejuar como fazem hoje e esperar que a sua voz seja ouvida no alto.
5 Será esse o jejum que escolhi, que apenas um dia o homem se humilhe, incline a cabeça como o junco e se deite sobre pano de saco e cinzas? É isso que vocês chamam jejum, um dia aceitável ao Senhor?
6 “O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo jugo?
7 Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo?
8 Aí sim, a sua luz irromperá como a alvorada, e prontamente surgirá a sua cura; a sua retidão irá adiante de você, e a glória do Senhor estará na sua retaguarda.
9 Aí sim, você clamará ao Senhor, e ele responderá; você gritará por socorro, e ele dirá: Aqui estou. “Se você eliminar do seu meio o jugo opressor, o dedo acusador e a falsidade do falar.
Isaías 58:4-9

 

Mais tarde, em uma Live, Daciolo ainda afirmou que o Governo Bolsonaro está “debaixo de uma maldição”.

E você, concorda com as declarações do ex-deputado? Deixe-nos saber nos comentários.

1 Comment

  1. Enquanto católico sou contra um Jejum ecumênico convocado por um presidente judaizante, possivelmente maçom e em adultério, ainda mais em pleno Domingo de Ramos.Mas realmente, Daciolo me parece ser um patriota sincero, apesar de infelizmente ser um “falso profeta”, já que forçou a barra ao dizer que “venceria a eleição com 51% dos votos válidos”.Votei em Eymael no primeiro turno (me arrependi, pois o mesmo foi apoiar o “macron petista” Haddad) mas cogitei o Cabo também, e obviamente nulo no segundo.Precisamos de um Engelbert Dollfuss brasileiro.Um Daciolo católico.

Deixe uma resposta