‘A pandemia fez o mundo questionar a economia capitalista’, diz líder xiita

O secretário-geral do movimento de resistência libanês Hezbollah, Sayyid Hassan Nasrallah, afirmou que as repercussões da pandemia do novo coronavírus podem ir além das consequências das guerras mundiais e resultar em uma nova ordem global.

Em um discurso televisionado neste último sábado (28), Nasrallah disse que o mundo está vivendo uma nova experiência, “sem paralelos em dois séculos”, com a luta contra a peste.

Ele convocou as elites e os pensadores a observarem as principais mudanças causadas pela doença, cujas “repercussões podem ser maiores que a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais” e gerar uma “uma nova ordem mundial”.

O chefe do Hezbollah levantou ainda questões sobre o futuro dos EUA e da EU no pós-crise.

“Não sabemos se os Estados Unidos permanecerão unidos ou mesmo se a União Europeia permanecerá unida, e, no mundo todo, agora há um debate sobre os sistemas de saúde e também sobre o sistema econômico capitalista”, disse o líder xiita.

Além de causar milhares de mortes, a epidemia “confundiu o mundo”, salientou Nasrallah, sublinhando a necessidade de aprendermos uma lição com o atual contexto global.

O novo coronavírus surgiu inicialmente na China no final de 2019 e agora está se espalhando pelo globo. Em todo o mundo, houve mais de 664.100 casos confirmados e mais de 30.880 mortes. No Líbano, o coronavírus já matou oito pessoas e infectou 412 outra, e o governo estendeu o período de quarentena nacional até 12 de abril.

Nasrallah também criticou ainda a Associação de Bancos por doar apenas US$ 6 milhões ao governo libanês para combater o vírus, afirmando que a quantia é muito pequena em comparação com a capacidade financeira do organismo.

O chefe do Hezbollah também saudou a firmeza do povo iemenita em face da agressão saudita, que já dura cinco anos, e renovou seu apelo ao regime de Riad para interromper os ataques, especialmente em meio à pandemia de coronavírus.

Fonte: Press TV

Deixe uma resposta