Se a mídia globalista ataca Assad, é sinal de que a Síria está vencendo:

Se a mídia globalista retomou a guerra de informação contra a Síria, é sinal de que Assad conquistou alguma vitória no campo de batalha.

E conquistou.

Nos últimos dias, milícias curdas, anteriormente aliadas do e financiadas pelos EUA (colaborando ativamente com o plano imperialista de fragmentar a Síria), entregaram o controle de diversos bairros para o Governo, especificamente, os bairros de Bustan Basha, Al Halk, Baiden, Al Haidariyah e Ain al Abiad, com a possibilidade de entregarem também Sheij Maqsud (principal zona curda em Alepo).

Além do mais, forças populares pró-Síria, recentemente, hastearam a bandeira da República Árabe da Síria em Afrin, consolidando, simbolicamente, o controle do Governo sobre a região em meio a ofensiva turca (esta sequer mencionada pela mídia globalista).

Isso sem falar na quase-erradicação do Estado Islâmico e de outras organizações terroristas do território sírio, graças ao apoio russo e iraniano, possibilitando que dezenas de famílias retornassem para suas casas.

Em meio a todas essas vitórias de Assad e do povo sírio, o que a mídia globalista não irá informar é que:

1) Só no dia de hoje, grupos terroristas remanescentes (provavelmente da Frente Al-Nusra) lançaram dezenas de projéteis contra bairros residenciais em Damasco, deixando mais de cinquenta pessoas feridas e, até agora, uma morta, bem como danificando drasticamente diversas infraestruturas públicas, dentre as quais estão hospitais e centros de tratamento.

2) Ou que, no dia de ontem, a Coalizão Internacional liderada pelos EUA bombardeou a parte oriental de Deir Zor, deixando pelo menos 12 civis mortos, entre mulheres e crianças, e ferindo gravemente outros tantos, chegando a danificar casas e uma fábrica de pães.

3) Ou que, como afirmou recentemente o ministro das relações exteriores russo, Sergey Lavrov, grupos terroristas remanescentes na Guta Oriental, têm usado civis como escudos humanos para se proteger dos ataques das forças pró-Síria.

Em todo caso, o que a mídia também não fará questão de dizer é que o próprio Exército dos EUA confirmou ter sido responsável pela morte de “pelo menos 841 civis” desde 2014, em seus 29.070 bombardeios no território sírio. É claro, esses números foram certamente diminuídos e a quantidade de civis mortos deve ultrapassar a casa dos mil, em uma visão “otimista”.

De qualquer forma, a realidade é que a mídia pode dizer o que quiser: o povo sírio, sob o governo do Presidente Assad, tem vencido e, ao que tudo indica, seguirá vencendo – para o choro e ranger de dentes de toda a infame escória liberal, e para o júbilo de homens e mulheres de bem em todo o mundo. 

Deixe uma resposta