Manuela D’Ávila participa de evento promovido pela ONG do ultra-liberal e oligarca George Soros:

No início desta semana, a pré-candidata à presidência pelo Partido Comunista do Brasil (PC do B), Manuela D’Ávila, foi alvo de críticas em sua conta no Twitter após publicar um tweet que divulgava sua participação em um evento sobre “drogas e segurança pública” organizado pela Open Society Foundation, ONG do oligarca ultra-liberal George Soros.

O George Soros, de quem Armínio Fraga, um dos principais representantes do liberalismo no Brasil, foi bastante próximo nos anos 90 (chegando a trabalhar em um de seus fundos de investimento em Nova Iorque, o Soros Fund Management LLC), é dono de um poderoso lobby em prol da legalização da maconha. Coincidentemente ou não, Soros é um dos maiores investidores da Monsanto.

Armínio Fraga e George Soros

Mas não para por aí. O bilionário, de acordo com suas próprias palavras, também esteve por trás do golpe de Estado na Ucrânia em 2014, mais especificamente, através de uma de suas ONGs: a International Renaissance Foundation, que integra o projeto de Soros de fomentar “sociedades abertas”. Pois é, para quem não sabe, ONGs internacionais são ferramentas do imperialismo.

Entre outras coisas. 

Com todas essas ligações, públicas e amplamente noticiadas pela imprensa popular ao redor do mundo, e considerando que Manuela não tivesse noção de nenhuma delas (?), fica bastante clara a miopia da deputada no que tange ao chão onde pisa – sintoma de toda uma esquerda institucional já quase que completamente absorvida pelo esquema geral das representações de mundo do liberalismo hegemônico em nosso tempo.

Isaque Santos

Psicólogo, ativista político e membro da NR-RJ.

1 Comment

Deixe uma resposta