Inteligência russa desvenda assassinato da jornalista Daria Dugina

A autora do crime seria uma mulher de 43 anos oriunda da Ucrânia. Participação dos serviços secretos ucranianos já foi confirmada.

O FSB, serviço de inteligência russo, resolveu o assassinato da jornalista e mártir da Causa Multipolar Daria Dugina, informou o Centro de Relações Públicas da agência.

“Foi concluido que o crime foi preparado e cometido pelos serviços especiais ucranianos. A autora do crime é uma cidadã da Ucrânia, Vovk Natalya Pavlovna, nascida em 1979”, diz o comunicado.

O FSB esclareceu que Vovk, juntmanete com sua filha de 12 anos, chegou à Rússia em 23 de julho e alugou um apartamento na casa onde Dugina morava com o intuito de coletar informações sobre a vítima.

Para observar Daria, a autora do crime utilizou um mini cooper. Na entrada da Rússia, o veículo constava com placa da República Popular de Donestsk. Já em Moscou, levava uma placa do Cazaquistão e, na saída, da Ucrânia.

No dia do assassinato, Vovk e sua filha estavam no Festival “Tradição”, onde Dugina e seu pai estevam presentes como convidados de honra. À noite, a autora do atentado realizou a explosão remotamente, como as investigações inicias já haviam indicado.

Depois disso, Vovk e a garota partiram pela região de Pskov rumo à Estônia.

Os materiais da investigação foram transferidos para a Comissão de Investigação.

Nas redes sociais, já circulam diversas fotos da autora do atentado.

As informações são da agência Ria Novosti.

Imagem padrão
Isaac Silva
Artigos: 14

Deixar uma resposta