Por Que Justin Trudeau perdeu legitimidade como líder do Canadá?

Uma onda de protestos por parte de caminhoneiros canadenses foi recebida com histeria por Justin Trudeau, que acusou os protestos de ilegítimos, se recusou a conversar com seus líderes e agora afirma que os manifestantes são racistas, homofóbicos, transfóbicos, etc. A histeria de Trudeau, sua fuga da capital e a perspectiva de que ele talvez recorra à violência policial para acabar com os protestos dão fim à legitimidade de Trudeau como líder canadense.

O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau perdeu sua legitimidade depois de fugir da capital diante de seu próprio povo que protesta pacificamente contra o efeito desproporcional de seu mandato vacinal sobre os mais de 10% dos caminhoneiros canadenses que não estão inoculados. Esses indivíduos correm o risco de perder seu sustento se cumprirem com as mais novas exigências do governo. Muitos outros se uniram ao seu movimento por solidariedade com as pessoas que ajudaram a manter seu país funcionando durante toda a pandemia. Eles consideram errada a política de vacinação coercitiva do Canadá em todos os aspectos.

Qualquer que seja a posição de qualquer pessoa sobre a vacinação, não há como negar que os canadenses têm o direito de protestar pacificamente, que é exatamente o que estão fazendo no momento. No entanto, seu líder os condenou ferozmente como uma chamada “minoria marginal”, a qual ele afirma que defende pontos de vista odiosos, embora não haja provas de que eles o façam. Sua constante buzinação na capital tem perturbado alguns canadenses, mas isso é a consequência de viver em um lugar onde as pessoas protestam. Os caminhoneiros e seus apoiadores não representam nenhuma ameaça a nenhum de seus concidadãos ou à ordem constitucional do Estado.

Trudeau, contudo, disse que não se reunirá com eles em nenhuma circunstância. Embora ele afirme que acabou de ser convenientemente pegar COVID, ele ainda poderia organizar uma reunião no Zoom, por exemplo, se ele realmente quisesse se conectar com esta verdadeira revolução da classe trabalhadora. Em vez disso, ele está escondido em um local não revelado após ser evacuado da capital sob o pretexto de que seus cidadãos que protestam pacificamente supostamente representam uma ameaça à sua segurança.

O que está realmente acontecendo é que ele está com medo de que os heróis de seu país estejam se levantando contra seu mandato radical que afetará desproporcionalmente os mais de 10% dos caminhoneiros que não estão vacinados. Pelos mesmos padrões que o Ocidente americano aplica aos líderes das nações do Sul Global, alguns poderiam considerar que ele já abdicou de facto após ter fugido de sua capital. Afinal, isso é exatamente o que diriam se o presidente sírio Bashar Assad ou o primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed fizessem o mesmo.

Sobre esses dois líderes, eles orgulhosamente se mantiveram firmes em suas respectivas capitais, apesar de os terroristas convergirem para elas em certos momentos. As forças armadas de cada um de seus países repeliram com sucesso essas ameaças, mas o Ocidente, liderado pelos EUA, ainda considera o líder sírio ilegítimo. Em contraste, ninguém desse bloco liderado pelos EUA considera Trudeau como ilegítimo, embora ele tenha fugido diante de manifestantes puramente pacíficos e não de terroristas de fato.

Tudo se torna rapidamente muito preocupante depois que o chefe da polícia de Ottawa flertou com a ideia de solicitar apoio militar para dispersar os manifestantes pacíficos. Embora Trudeau tenha negado que tal cenário esteja sendo cogitado, suas palavras não devem ser tomadas à letra depois que ele já mentiu ao depreciar falsamente os manifestantes pacíficos como “antissemitas, islamofóbicos, racistas antinegros, homofóbicos e transfóbicos”. Ele pode estar literalmente contemplando a matança de seu próprio povo no futuro próximo.

Isto é, afinal, como o Ocidente liderado pelos EUA retrataria a negação de um líder do Sul Global de conspirar para enviar os militares para dispersar os manifestantes pacíficos, mesmo que eles sejam de fato terroristas ou amplamente infiltrados por eles. O fracasso em aplicar esses mesmos padrões a líderes ocidentais como Trudeau fede a racismo real. Curiosamente, ele próprio foi acusado de ser racista depois de usar blackface mais vezes do que admitiu recordar.

Objetivamente falando, Trudeau deveria de fato ser considerado racista depois daquele escândalo e considerado como tendo abdicado de seu cargo depois de ter fugido da capital exatamente como os líderes do Sul Global seriam tratados pelo Ocidente liderado pelos EUA se fizessem o mesmo. Se ele tivesse ficado em Ottawa e se encontrado virtualmente com os manifestantes pacíficos (já que ele não pode fazê-lo pessoalmente, já que ele afirma que acabou de convenientemente pegar COVID), então ele ainda seria um racista mas não teria perdido sua legitimidade como líder do Canadá.

Já é hora de Trudeau ser julgado com os mesmos padrões que os líderes do Sul Global. Assim como os líderes ocidentais liderados pelos EUA nunca se cansam de entoar aquele “Assad Must Go!”, também os canadenses patriotas e amantes da paz podem começar a entoar aquele “Trudeau Must Go!” até que ele finalmente o faça. É claro que é improvável que ele realmente abdique mesmo que essa seja a decisão moralmente correta à luz das circunstâncias e dos padrões a que os líderes do Sul Global são obrigados, mas ainda é um pensamento promissor de entreter.

Fonte: Oriental Review

Imagem padrão
Andrew Korybko

Analista político e jornalista do Sputnik, é também autor do livro "Guerras Híbridas".

Artigos: 585

Deixar uma resposta