Quem eram as “vítimas” de Kyle Rittenhouse?

Terminou, nos EUA, o julgamento de Kyle Rittenhouse, o jovem conservador que disparou contra antifas enquanto tentavam assassiná-los, matando dois e deixando um ferido. Kyle foi inocentado porque o tribunal entendeu que se tratou de um caso de legítima defesa. Resultado óbvio, mas não menos importante considerando a cultura hegemônica mundial, inteiramente favorável à selvageria de movimentos e forças contracivilizatórias. Não obstante, a mídia de massa, inclusive no Brasil já pôs para funcionar a máquina de fake news, inventando que Kyle assassinou negros, que assassinou manifestantes pacíficos, etc. A realidade, porém, bate à porta. Quem eram as supostas vítimas de Kyle Rittenhouse?

A máquina de propaganda que retrata as duas vítimas do tiroteio em Kenosha, mortos por Kyle Rittenhouse de 17 anos enquanto tentava se defender de um linchamento, como mártires inocentes do antirracismo e do antifascismo, foi posta em movimento e está bem financiada. Nos últimos dias, a grande imprensa e as diversas organizações ligadas ao Black Lives Matter gastaram suas energias descrevendo como manifestantes inocentes e pacíficos Joseph Rosenbaum, 36 anos, Anthony Huber, 26 anos, e Gaige Grosskreutz, 26 anos (este último é o jovem que sobreviveu aos tiros, ferido no braço enquanto apontava sua arma para o rosto de Rittenhouse); mas uma observação cuidadosa dos vídeos do evento – e dos momentos imediatamente anteriores – é suficiente para que esta narrativa seja varrida.

Acrescente-se a isto a série de precedentes que estes autodenominados “manifestantes pacíficos” acumularam ao longo dos anos, e você obtém um quadro muito mais complexo do que os paladinos do antirracismo querem fazer crer. Afinal, eles já haviam começado com George Floyd e depois continuaram com Blake, transformados de criminosos com um passado deplorável de registros criminais, como agressões a mulheres, em mártires pela causa dos direitos civis.

Joseph Rosenbaum

Joseph Rosenbaum, 36 anos, foi o primeiro a ser atingido e morto pelos tiros disparados por Rittenhouse. As imagens locais mostram-no atirando uma bomba de gasolina no garoto de 17 anos e depois o perseguindo. Seu nome está no registro de predadores sexuais de Kenosha por abusar de um menor. Para ajudar financeiramente sua família com os custos do funeral, seus amigos criaram uma página GoFundMe. As doações já atingiram 13 mil dólares. Ao contrário da arrecadação de fundos para Rittenhouse, que a GoFundMe decidiu suspender.

Anthony Huber

Huber, 26 anos, é a segunda vítima do confronto. Ele é o garoto que ataca Rittenhouse, tentando acertar-lhe repetidamente na cabeça com seu skate. Ele foi preso em 2012 e acusado de violência doméstica, uso de arma perigosa, estrangulamento e asfixia, e lesão corporal agravada. Ele foi condenado por estrangular e sequestrar uma pessoa. Uma imagem diferente da descrição que sua namorada fez dele como um “namorado amoroso”.

Gaige Grosskreutz

Grosskreutz, 26 anos, é o único sobrevivente do tiroteio. Ele é o pistoleiro de quem Rittenhouse se defendeu durante o ataque, atirando no braço. Ele foi filmado enquanto, armado, perseguia o jovem de 17 anos. Uma imagem de um amigo, Jacob Marshall, que afirma ter falado com Grosskreutz, está circulando nas mídias sociais. Grosskreutz lamenta ter hesitado em puxar o gatilho e não ter assassinado Rittenhouse quando teve a chance, esvaziando o cartucho nele. Acusado de violar sua liberdade condicional em 2013 e tendo antecedentes criminais, foi impedido de possuir e portar arma.

Fonte: Il Primato Nazionale

Cristina Gauri

Jornalista e artista italiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *