400 VIPs em Jatos Particulares voaram até Glasgow para falar sobre Meio Ambiente na COP26

Centenas de bilionários, celebridades e políticos voaram em jatinhos particulares extremamente poluentes até Glasgow para conversar sobre salvar o meio ambiente. Mas o ônus dessa defesa da natureza, óbvio, não cairá sobre os ombros deles, mas sobre os nossos. A ideia é paralisar o desenvolvimento das nações do Terceiro Mundo, extinguir as classes médias e fazer a massa planetária comer papinha de soja. Já eles, membros da elite, seguirão voando de jatos, vivendo em coberturas e comendo picanha.

Há poucos dias foi realizado o COP26, evento global, reunindo representantes de praticamente todos os países do mundo, de inúmeras empresas, celebridades, etc., para discutir sobre o aquecimento global, tema sempre atual, mas no qual tem sido sempre depositados os interesses e projetos da elite cosmopolita global. De destaque, a insistência em que os países do Terceiro Mundo se transformem em imensas reservas ambientais, condenadas ao subdesenvolvimento e à subalternidade geopolítica, enquanto os países do Primeiro Mundo avançam com os projetos da quarta revolução industrial e do capitalismo verde.

Mas esse não é o cúmulo da hipocrisia. O cúmulo da hipocrisia é que pelo menos 400 participantes do evento, entre Chefes de Estado, bilionários e celebridades, foram ao evento, realizado em Glasgow, Escócia, usando jatos particulares. Entre as figuras, personagens como Jeff Bezos, com um jato de mais de 300 milhões de dólares, além de Bill Gates, estão entre os que viajaram em seus aviões particulares.

Para que se tenha uma ideia, aviões particulares emitem 2 toneladas de CO2 por hora de voo. Se considerarmos uma média de 10 horas de voo, pensando nos participantes estadunidenses, são 20 toneladas de CO2 emitidos por cada um desses jatos. A título de comparação, a pegada de carbono do cidadão global médio é de 5 toneladas de CO2 por ano. Isso quer dizer que, em algumas horas, cada um dos bilionários emitiu o equivalente ao que 4 cidadãos comuns emitem ao longo de um ano inteiro. Agora multipliquem pela quantidade de vezes que os bilionários e celebridades usam seus jatinhos ao longo do ano…

O meio ambiente é um tema sério, de fato, e é necessário que os povos do mundo pensem medidas para reduzir os impactos de suas atividades econômicas. Afinal, garantir um planeta capaz de nos sustentar confortavelmente e habitável por tempo indeterminado é um fim bom em si mesmo. Mas todo o projeto do “capitalismo verde” implica, para além da privatização da natureza, em extinguir as classes médias dos vários países do mundo, reduzindo o padrão de vida da grande massa mundial a níveis subsaarianos, enquanto os bilionários seguirão vivendo suas vidas desimpedidos, desperdiçando, queimando e gastando, por dia, o que centenas ou milhares de nós gastamos por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *