Conselheiro Russo: “O Grande Reset é um Projeto Globalista para Destruir os Estados Nacionais”

Sejam as origens do coronavírus naturais ou não, a realidade é que a pandemia do covid se tornou um instrumento útil para promover a agenda globalista dos senhores do mundo. O Fórum Econômico Mundial agora pretende impôr o “Grande Reset” a todos os países do mundo, com o objetivo de estabelecer a ditadura tecnocrática direta das megacorporações

Em 16 de dezembro, o Conselho da Federação realizou uma “mesa redonda” da Comissão Provisória do Conselho da Federação para a Proteção da Soberania do Estado e Prevenção de Interferências nos Assuntos Internos da Rússia (Presidente – Andrey Klimov) sobre o tema “Tentativas estrangeiras de usar o espaço pós-soviético para desestabilizar o sistema político da Rússia”.

Senadores participaram da reunião da “mesa redonda” – membros da Comissão Provisória do Conselho da Federação Elena Afanasyeva, Aleksandr Vaynberg, Margarita Pavlova, Vladimir Poletayev, membro do Presidium do Conselho de Política Externa e Defesa e Coronel do Serviço de Inteligência Estrangeira Andrey Bezrukov, membro da Câmara Pública da Federação Russa Maria Butina, Primeiro Ministro da Ucrânia em 2010-2014 Mykola Azarov, Presidente da Comissão Permanente da Câmara dos Representantes da Assembléia Nacional de Belarus Andrey Savinykh, Vice-Presidente da ONG “Belaya Rus” Aleksandr Shatko, presidente do partido búlgaro “Ressurreição da Pátria” (criado com base no movimento nacional “Russófilos”) Nikolay Malinov, Diretor de Comunicações da “Rossiya Segodnya” Pyotr Lidov-Petrovsky e outros.

Mas o discurso do cientista, publicista, membro do Conselho de Política Externa e de Defesa e conselheiro do Ministro da Defesa Sergey Shoigu, Andrey Ilnitsky, recebeu a maior ressonância.

Desequilibrar a economia e os sistemas de saúde dos Estados nacionais é a principal tarefa do projeto coronavírus, o que tem sido feito com sucesso, disse Andrey Ilnitsky, assessor do Ministro da Defesa russo.

Deve-se impor a democracia no mundo inteiro – naturalmente, na forma que for de interesse para os organizadores do empreendimento. E aqueles que querem preservar os Estados nacionais devem ser privados de benefícios: “Não permitiremos o retorno do mundo pré-coronavírus, questionaremos os políticos…”. E quem é esse “nós”? As corporações transnacionais. Elas questionarão as medidas dissuasivas, do que se deduz que “não é o covid a maior ameaça, mas as medidas que estão sendo tomadas no mundo inteiro”, explicou Ilnitsky.

Segundo Ilnitsky, as corporações multinacionais ocidentais estão considerando o coronavírus como seu próprio projeto. A tarefa é ter um impacto em larga escala nos Estados ao redor do mundo e transformar completamente a vida das pessoas através de restrições rigorosas contra o coronavírus.

Andrey Ilnitsky incluiu em seu relatório pontos que indicam tentativas de pressionar a Rússia e outros países do mundo que decidiram preservar sua soberania. Entre outras coisas, ele falou sobre o conhecido fórum fechado em Davos, onde eles falaram sobre a implementação do plano globalista. Foi abertamente anunciado que a pandemia do coronavírus deveria se tornar uma ferramenta para um “reset global” e que ninguém deveria voltar à sua vida anterior.

Ele recordou a fórmula de combate do vírus na guerra biológica. O principal indicador do vírus no ataque biológico inimigo é a virulência, ou seja, a capacidade de infectar o corpo humano. As teses delineadas por Ilnitsky estão contidas no livro de Klaus Schwab “Covid-19″: O Grande Recomeço”. Schwab, deve ser dito, organizou o Fórum de Davos. Em seu livro, ele apela para um mundo governado por corporações.

“E neste mundo não haverá lugar para os Estados nacionais. Eles não estão lá. Citação: ‘Se a democracia e a globalização se expandirem, então não haverá lugar para um Estado-nação’. Naturalmente, não haverá lugar para a Rússia soberana lá, em primeiro lugar. O projeto covid colocou medo nas pessoas, demoliu a administração Donald Trump, agitou os estados nacionais, pressionou os sistemas de saúde… Ele cumpriu sua tarefa. A propósito, a fórmula de combate biolótico, e isso não se tornou conhecido apenas hoje… Esse não é um vírus assassino. O principal indicador de um vírus é a virulência, ela tem que desequilibrar os sistemas de saúde do inimigo. E depois disso é que são lançados os vírus assassinos. Isto é simplesmente informação… Então, para continuar a desmantelar o velho mundo, os globalistas precisam de plataformas”.

Em particular, essas plataformas seriam a agenda do “capitalismo verde”, a digitalização e vários tipos de simuladores ideológicos – do LGBT ao Black Lives Matter, que se “einfiltrarão” nos Estados nacionais e criarão raízes.

O especialista apontou para o perigo representado pelas corporações transnacionais em relação aos Estados independentes. Ilnitsky pediu aos deputados e senadores do Conselho da Federação que rejeitassem projetos de lei que pudessem conter uma ameaça até mesmo potencial à segurança nacional da Rússia.

Fonte: StalkerZone

1 Comment

Deixe uma resposta