As 9 Invenções Brasileiras Mais Importantes

Qual é o verdadeiro potencial científico do Brasil? Há futuro para a ciência e para a pesquisa em nosso país? Para superar o vira-latismo é necessário que sejamos educados nos grandes feitos dos melhores entre os nossos antepassados, e é aí que conseguimos testemunhos do potencial criativo de nosso povo.

Por causa do vira-latismo tem-se a impressão, em nosso país, de que o povo brasileiro nunca deu grande contribuição para o desenvolvimento técnico e científico de nossa era. Ainda que governos que pouco investiram ou incentivaram a educação e a pesquisa científica ao longo das últimas 4 décadas sejam em boa medida responsáveis pelo amadorismo científico que ainda vige em nosso país, personagens brasileiros brilhantes dos últimos 150 anos demonstraram o potencial inato de nosso povo para a criatividade e a inovação.

Se, por um lado, a fama de Santos-Dumont é consagrada (apesar de não faltarem brasileiros que, em seu vira-latismo, neguem o pioneirismo do mineiro), por outro lado ignora-se que há muitas outras invenções brasileiras com as quais convivemos.

Aqui apresentaremos as invenções brasileiras que consideramos mais relevantes e significativas, reconhecendo, porém, a dificuldade de valorar e hierarquizar essas invenções.

9 – Câmbio Automático

O mérito da invenção do câmbio automático pertence a José Braz Araripe e Fernando Lehly de Lemos, dois ilustres desconhecidos que desenvolveram em 1932 a primeira transmissão automática usando fluido hidráulico. Outras tentativas de desenvolver uma transmissão automática antecedem a deles, mas a deles foi a primeira que funcionou. Araripe e Lemos venderam sua invenção para a General Motors e já a partir de 1938 ela começou a lançar carros que já aplicavam a invenção brasileira. Aliás, José Braz Araripe era tio do escritor Paulo Coelho.

8 – Relógio de pulso

Quantas pessoas sabem não só que o relógio de pulso é invenção brasileira, como que essa foi mais uma das invenções de Alberto Santos-Dumont? O inventor e aventureiro mineiro precisava de um meio mais prático de cronometrar o tempo passado no ar com suas invenções voadoras porque o relógio da época era de bolso, preso por uma corrente. Ele teve uma ideia e pediu a ajuda do relojoeiro Louis-François Cartier para criar o primeiro relógio de pulso. A invenção se espalhou rapidamente pelo mundo.

7 – Abreugrafia

A radiografia médica é uma técnica para observar o corpo humano por dentro e possui diversos métodos. Um dos mais famosos e clássicos é a abreugrafia, invenção do paulista Manoel Dias de Abreu, um dos maiores médicos e cientistas de nossa história. A abreugrafia é o método mais rápido e barato de radiografar pulmões humanos, permitindo assim detectar a tuberculose mesmo em seus estágios iniciais.

6 – Rádio

Provavelmente o item mais controverso e complexo de nossa lista. A invenção daquilo que chamamos de “rádio” passou por várias etapas e contou com a contribuição de inúmeros personagens e de vários inventos e descobertas anteriores. Apesar da invenção do rádio ser atribuída usualmente a Guglielmo Marconi, o padre gaúcho Roberto Landell de Moura antecedeu Marconi fazendo uma transmissão sem fio de voz humana por ondas de rádio em junho de 1900. À época, Landell de Moura recebeu a patente do “rádio” no Brasil, e as patentes do “transmissor de ondas”, do “telefone sem fio” e do “telégrafo sem fio” nos EUA. Ele também chegou a ser reconhecido internacionalmente como “o pai do rádio” no início do século XX, mas não sendo acadêmico, não tendo recursos financeiros, sendo um homem tímido e recatado e tendo algumas controvérsias e conflitos com as autoridades eclesiásticas ele acabou sendo posto para escanteio e caindo no esquecimento.

5 – Soro antiofídico

Vital Brazil Mineiro da Campanha foi um dos maiores gênios da história brasileira, um dos grandes nomes da medicina e da ciência em nosso país. A contribuição desse mineiro para a humanidade foi o desenvolvimento do soro antiofídico, para combater o veneno de serpentes peçonhentas, anunciado em 1903. Como se isso não bastasse, Vital Brazil também desenvolveu o soro contra picadas de aranha, o soro contra picada de escorpião, e o soro antitetânico e antidiftérico.

4 – Coração auxiliar artificial

Um dos principais problemas das pessoas que aguardam transplante de coração é a fila de espera. Não são poucas as pessoas que morrem enquanto aguardam um novo coração. Foi para amenizar esse problema que o engenheiro mecânico especializado em biomedicina Aron de Andrade desenvolveu entre 1998 e 2000 o coração auxiliar artificial, que se conecta com o coração natural defeituoso, substituindo seus batimentos para bombear sangue para o corpo.

3 – Balão a ar

A história do balão é fenomenal, e nela os brasileiros são reconhecidamente pioneiros. Em 1709, o padre jesuíta Bartolomeu de Gusmão, nascido em Santos, e considerado o primeiro inventor brasileiro e pioneiro da aeronáutica nacional, demonstrou perante o rei Dom João V, a rainha Maria Ana da Áustria, o cardeal Michelangelo Conti (futuro Papa Inocêncio XIII) e outros dignatários os seus balões de ar quente, batizados por ele de “passarolas”. A Federação Aeronáutica Internacional registra, ainda, que que ele teria conseguido voar em um balão a partir do Castelo São Jorge em Lisboa, pousando um quilômetro depois. As notícias sobre seu experimento se espalharam pela Europa, gerando incontáveis ilustrações fantasiosas.

2 – Máquina de escrever

Quem tem menos de 25 anos provavelmente nunca viu uma, mas por mais de 100 anos a maioria das casas de classe média teve uma máquina taquigráfica como principal meio automatizado de escrever. A invenção também é brasileira, ainda que sendo um conceito complexo houve contribuição incremental de diversas pessoas de vários países. O padre paraibano Francisco João de Azevedo adaptou em 1861 um piano com 24 teclas para que ele pudesse imprimir letras em papel. Todos os elementos da máquina de escrever tal como a conhecemos estava lá, ainda que em dimensões um pouco maiores. O experimento foi exibido no mesmo ano, e o imperador Pedro II premiou Azevedo por sua invenção. Com o objetivo de industrializar o invento, Azevedo deixou um comerciante americano levar seu projeto para os EUA. Azevedo nunca mais ouviu falar no comerciante, e 4 anos depois a empresa americana Remington estava lançando a sua primeira máquina de escrever comercial.

1 – Avião

Não poderia ser diferente. A invenção do avião é a mais importante e notória invenção brasileira. Outra das muitas invenções de Alberto Santos-Dumont (além do avião e do relógio de pulso, ele também inventou o balão a gás pequeno, o dirigível, o ultraleve e o hangar de portas corrediças), o 14-Bis foi a primeira aeronave a voar em público de forma autônoma, razão pela qual os franceses e o mundo quase todo reconheceram o pioneirismo de Santos-Dumont, sob o choro e ranger de dentes dos irmãos Wright e dos americanos. Desnecessário dizer que com catapulta até vaca voa e, portanto, consideramos essa suposta controvérsia dos irmãos Wright como completamente superada.

Menções honrosas

Fica claro que só não ganhamos o Prêmio Nobel, até hoje, por falta de investimento e, naturalmente, por certa dose de politicagem nas premiações. Poderíamos ainda fazer menção honrosa ao walkman, ao escorredor de arroz, ao identificador de chamadas, à urna eletrônica, ao painel eletrônico, ao cinema 3D e ao manequim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *