A Soteriologia Delirante da Ideologia de Gênero – O Caso Schreber analisado por Freud

Um dos elementos mais bizarros do capitalismo pós-moderno é a ideologia de gênero, ou seja, o gênero como commodity, que pode ser comprado, vendido, trocado. Mas por trás dessa desconstrução do homem se encontra uma “soteriologia” que, como bem lembrado pelo professor Dugin, já podia ser vislumbrada em um dos mais famosos casos examinados por Sigmundo Freud, o caso do Doutor Schreber, um homem que dizia que precisava virar mulher pra salvar o mundo.

Em busca de uma explicação para o que está acontecendo hoje com a civilização ocidental, vale a pena voltar ao caso do “Dr. Schreber”, minuciosamente estudado por Freud (um dos cinco casos mais famosos de pesquisa clínica de Freud). Portador de grave paranoia, o doutor Schreber, por um lado, cumpria perfeitamente os seus deveres profissionais e civis como presidente da Corte de Apelação em Dresden, mas por outro, era obcecado por uma série de ideias delirantes. A essência de seu ramificado delírio, que inclui uma mitologia individual desenvolvida, motivos gnósticos (a existência de dois deuses), uma obsessão por um fim do mundo que já acontecera, uma “premonição” sobre o ofuscamento da luz do sol e o aparecimento de “pessoas falsificadas”, etc., se resumia na sentença proferida pelo médico que o tratava: “Ele se considera convocado a salvar o mundo e a devolver-lhe a bem-aventurança perdida. Mas ele só será capaz de fazê-lo quando, antes disso, transformar-se em mulher”. Nisso está contida uma peculiar “soteriologia” paranoica-delirante da filosofia moderna e da política de gênero. Parece que aqui estamos lidando com um diagnóstico que afeta o núcleo dirigente dos liberais – do Governo Mundial.

Aqui está uma descrição mais detalhada feita pelo Dr. Weber ao tentar tratar Schreber:

“O sistema delirante do paciente se resume ao fato de que ele é convocado a salvar o mundo e a devolver à humanidade a bem-aventurança perdida. Ele afirma que chegou a essa missão graças à inspiração divina direta, semelhante aos ensinamentos dos profetas; são justamente os nervos excitados, situação em que estiveram os dele por muito tempo, que possuem a propriedade de influenciar Deus atrativamente; mas, neste caso, estamos falando de coisas que, na melhor das hipóteses, só podem ser expressas com grande dificuldade na linguagem das pessoas, pois estão fora do escopo de toda a experiência humana e foram reveladas apenas a ele. A coisa mais importante em sua missão salvadora é que, em primeiro lugar, deve ocorrer sua transformação em mulher. Não é que ele queira se tornar uma mulher, mas sim uma questão de ‘obrigatoriedade’ estabelecida na ordem mundial, que ele definitivamente não pode evitar, embora para ele pessoalmente fosse muito melhor permanecer em sua honrosa posição masculina. Mas nem ele, nem o resto da humanidade serão capazes de recuperar suas vidas após a morte, por outro meio que não seja a sua transformação em mulher, que ele deverá realizar somente após muitos anos ou décadas através de um milagre divino. Ele próprio (e ele está convencido disso) é o único objeto do milagre divino e, portanto, a pessoa mais incrível que já viveu sobre a Terra. Desde muito tempo, a cada hora, a cada minuto ele experimenta esse milagre em seu corpo, e também recebe confirmação disso pelas vozes que falam com ele. Nos primeiros anos de sua doença, certos órgãos de seu corpo sofreram ferimentos que há muito teriam levado qualquer outra pessoa à morte; por muito tempo ele viveu sem estômago, sem intestinos, quase sem pulmões, com o esôfago rasgado, sem bexiga, com as costelas fragmentadas, às vezes junto com os alimentos comia a própria garganta, etc. Mas o milagre divino (‘raios luminosos’) sempre restauravam o que havia sido destruído e, por isso, por enquanto ele permanecia homem, enfim, ele era imortal. Esses fenômenos perigosos haviam desaparecido há muito tempo, em compensação sua ‘feminilidade’ veio à tona em primeiro plano. Neste caso, trata-se de um processo de desenvolvimento que provavelmente levaria décadas, se não séculos, para ser completamente concluído, e é improvável que alguém entre as pessoas que vivem hoje sobreviva até o seu final. Ele tem a sensação de que muitos ‘nervos femininos’ já se transferiram para seu corpo, a partir dos quais surgirão novas pessoas graças à fertilização direta por Deus. Somente então, talvez, ele possa morrer uma morte natural e, como todas as outras pessoas, recuperará a bem-aventurança. Mas, enquanto isso, não apenas o sol fala com ele com vozes humanas, mas também as árvores e pássaros, que são ‘maravilhosos remanescentes de antigas almas humanas’, e em todo lugar ao seu redor coisas maravilhosas acontecem.”

Em essência, esta é uma breve descrição da robótica moderna e da lógica do progresso tecnológico, da pseudo-religião da ONU Gaia, da ecologia e dos horizontes criogênicos da “imortalidade” física.

Aleksandr Dugin

Filósofo e cientista político, ex-docente da Universidade Estatal de Moscou, formulador das chamadas Quarta Teoria Política e Teoria do Mundo Multipolar, é um dos principais nomes da escola moderna de geopolítica russa e um dos mais importantes pensadores de nosso tempo.

Deixe uma resposta