George Soros e Bill Gates financiando os fact-checkers do Facebook

A grande mídia social Facebook anunciou que sua luta contra fake News envolverá organizações de terceiros relacionadas ao fact-checking, no entanto existem sérias preocupações sobre a legitimidade desses grupos após ter sido revelado que George Soros e Bill Gates, assim como outros doadores dos Clintons estão financiando a unidade de fact-checking.

Muitas pessoas estão tomando como garantido que esses verificadores de fatos são a quintessência da neutralidade e do relatório imparcial. Bem, julgue por si mesmo.

O Facebook divulgou uma declaração em 15 de dezembro advertindo usuários que eles estavam iniciando um programa para “trabalhar com organizações de terceiros de fact-checking que são signatários do Poynter’s International Fact Checking Code of Principles (IFCN)”.

Aqui está um fato interessante sobre Poynter, o autoproclamado “líder global do jornalismo”. Eles são financiados pelas Fundações da Open Society de George Soros, Fundação Bill & Melinda Gates, Instituição Nacional para a democracia (que possui vínculos financeiros com o departamento de estado), Fundação Omidyar do Ebay, e Craig Newmark, o fundador da Craiglist que fez a doação massiva de $ 1 milhão de dólares a Poynter para criar esse mecanismo anti-fake news.

Mas a situação se torna ainda pior

Craig Newmark também é um doador da campanha Clinton. Assim como George Soros e Bill Gates, ambos apoiadores de longa data da Fundação Clinton bem como do fundo de campanha eleitoral da Hillary. E um outro doador de Poynter, o fundador do Ebay Pierre Omidyar, também é um doador massivo para Clinton, ofertando milhões de dólares para a Fundação.

A jornalista dinamarquesa Iben Thranholm afirmou que estava chocada que tais fact-checkers obviamente partidários teriam permissão de controlar a narrativa política dos Estados Unidos. “Me deu arrepios de ouvir esses nomes porque eles têm uma agenda política muito forte. É como se tivesse um monte de pessoas que acredita que é perigoso não ser capaz de controlar a mídia, portanto separar o que são supostamente as notícias reais das fake news é na verdade uma forma de controlar a narrativa. Se você quer estar em oposição a esses poderes políticos então você será censurado. É claro que é uma forma de censura”.

Bem-vindo ao Ministério da Verdade de 1984, onde apenas fatos selecionados possuem a permissão de existir, enquanto outros fatos que não se encaixam na narrativa neoliberal de Washington serão taxados de “fake news” e abafados.

Matéria traduzida do News Punch, originalmente publicada há três anos

Deixe uma resposta