As forças que disputam o poder de ruptura nacional

O atual momento de escalada de tensão nacional possui três protagonistas principais:

* Uma seita satânica milenarista e aceleracionista que possui como objetivo fundamental levar o país a uma guerra civil, e que não tem qualquer interesse para além do caos absoluto;

* Uma cúpula militar maçônica e americanista que adota uma estratégia maquiavélica de poder visando alcançar um status de “poder moderador” da República para garantir uma submissão suave e supostamente vantajosa do Brasil no sistema mundial;

* Uma cúpula jurídica iluminista e cosmopolita que tem, nesse momento, o status de “poder moderador” da República, cujo projeto liberal-libertário envolve a dissolução do país em um globalismo sorosiano, e se vê acossada por forças que pretendem reduzir seu poder.

Querem cometer o erro de “escolher lados” aí? O façam por sua conta e risco.

Mas não existem QUAISQUER OUTRAS FORÇAS protagonizando essa escalada de tensão que estamos presenciando. Todos os outros grupos são secundários, coadjuvantes que tentam se posicionar da maneira mais vantajosa para os próprios interesses, ou para fazer controle de danos.

Raphael Machado

Advogado, ativista, tradutor, membro fundador e coordenador-geral Nova Resistência, é um dos principais divulgadores do pensamento e obra de Aleksandr Dugin e de temas relacionados a Quarta Teoria Política no Brasil.

Deixe uma resposta