Quem votou Bolsonaro votou Paulo Guedes

Temos visto pessoas dizendo que votaram no Bolsonaro, mas que são “críticas ao Paulo Guedes”, que votaram no Bolsonaro, mas que não apoiam o Paulo Guedes. Ora, isso simplesmente não existe, com exceção da camada de pessoas pouco instruídas que votou no Bolsonaro.

Mas quanto a pessoas que se dizem nacionalistas, quanto a organizações nacionalistas, compostas por pessoas mais ou menos instruídas e, em sua maioria, da classe média, isso simplesmente é impossível. Agora, não obstante, há alguns que votaram no Bolsonaro mas posam de “críticos do entreguismo”.

Quem votou no Bolsonaro votou no entreguismo. Simples assim. Mesmo que não soubesse disso, o que não é o caso de qualquer “nacionalista” que haja votado pelo Bolsonaro.

É possível alguém dizer “Votei no Bolsonaro, não no Paulo Guedes”? Não, não é possível. A SIMBIOSE Bolsonaro-Guedes sempre foi clara e anunciada pelo próprio Bolsonaro com orgulho. Bolsonaro nunca escondeu a carta-branca dada ao Chicago Boy para entregar nossas riquezas e dilapidar nossos direitos.

A desculpa de “mal menor” é absolutamente infame e falsa, incapaz de justificar voto em Bolsonaro contra o Haddad (e vice-versa).

A Nova Resistência já explicou e demonstrou de forma irrefutável que questões morais não são independentes de questões econômicas, e que na medida em que toda a podridão moral do progressismo liberal pós-moderno é importada de academias estrangeiras e financiada por megacorporações internacionais, o fortalecimento do liberalismo econômico no Brasil não faria outra coisa que fortalecer as forças privadas da subversão pós-moderna.

Agora, com menos de 1 mês de governo, já há uma série de bolsonaristas querendo “pular o barco”. Declarações estapafúrdias de Olavo de Carvalho, Regina Duarte, Bene Barbosa se somam aos choramingos de indivíduos e organizações que se dizem “nacionalistas” e agora reclamam dos projetos econômicos de Paulo Guedes.

Ora, quem não queria Paulo Guedes não votou Bolsonaro. Simples assim. E qualquer eleitor de Bolsonaro que queira, depois, pagar de nacionalista crítico do entreguismo deve ser publicamente ridicularizado.

Nós fizemos uma série de denúncias e montamos um verdadeiro dossiê sobre Paulo Guedes, demonstrando concretamente as suas conexões com George Soros e com o financismo capitalista internacional. Todas essas informações eram públicas e estavam disponíveis para quem pesquisasse sobre esse elemento na internet.

Homem que é homem assume responsabilidade por aquilo que faz. Quem subiu nesse barco que naufrague com ele.

1 Comment

  1. A direita sempre tem o costume de apoiar certos políticos, e depois fingir que a história não é com eles. Apoiaram o impeachment da Dilma (e portanto a nomeação do Temer como presidente), e depois fingiram que são contra o Temer. Elegeram o Collor, e depois fingem que são contra. Daqui a uns 10 anos, a maioria dos bolsonaretes também irão fingir que nunca apoiaram o Bolsonaro, assim como hoje eles fingem que nunca apoiaram o Aécio Neves. A mesma turma que hoje em dia apoia o Trump e chama o George W. Bush de globalista, apoiava este mesmo Bush na década passada.

    Não que eu esteja defendendo o PT. Aliás, eu já vi uma foto do próprio Lula se encontrando com o George Soros uma vez. Pelo menos o entreguismo do Bolsonaro é descarado, ao invés do entreguismo disfarçado do PT. Dependendo do ponto de vista, isso é até melhor. Num governo do Haddad, a Embraer também seria vendida, a Petrobras também seria privatizada. A diferença é que ele iria tentar jogar a culpa pra cima do Congresso.

Deixe uma resposta