Lula não é herdeiro de Vargas

Lula, em sua campanha pela tentativa de se esquivar da Justiça por meio de mobilizações “populares” decidiu utilizar como palanque a terra de Getúlio Vargas, uma figura em relação à qual, apesar de termos críticas, é necessário reconhecer ter contribuído de forma positiva para o desenvolvimento e soberanização nacionais.

A pretensão de Lula é posar como herdeiro de Getúlio Vargas. Associar a sua imagem e seu governo à imagem e governo de Vargas. Tratar o seu imbróglio com o Judiciário como uma “campanha de ódio” como a que foi empreendida contra Vargas, levando-o ao suicídio.

Devemos parabenizar, porém, a lucidez da família Vargas que proibiu que Lula visitasse o túmulo de seu ilustre antepassado. Tratar-se-ia de mais um exemplo grotesco do oportunismo político mais tosco e rançoso. Massas populares (chamadas pela militância petista de “classe média reacionária”) na região sul também expressaram o seu desgosto com o decadente lulismo.

O lulismo é um fenômeno político em seu leito de morte. Mas os seus fieis e cultistas ainda não se aperceberam do esgotamento de seu símbolo. A maioria das pessoas racionais que circundam este meio já abandonaram o barco. Só restaram os pagos, os loucos e os ingênuos.

O absurdo da pretensão de fazer uma associação entre Lula e Vargas não se sustenta diante da mais superficial das análises. Lula fez o oposto de tudo que Vargas fez.

Quantas estatais estratégicas em setores fundamentais para o processo de industrialização brasileiro foram criadas por Lula? Houve substituição de importações durante o governo Lula? Houve alguma tentativa de romper com a divisão internacional do trabalho e com a lógica das vantagens comparativas no governo Lula? Houve algum fortalecimento dos direitos trabalhistas e avanços significativos nas condições materiais dos trabalhadores?

Nós não sabíamos que Vargas havia baseado seu governo no tripé macroeconômico neoliberal, na dependência dos preços internacionais das commodities, em expansão creditícia a juros altíssimos e concessões de serviços públicos para corporações privadas. Porque esse foi o governo de Lula.

Que legado de Vargas é representado por Lula? Denunciamos essa usurpação. É verdadeiro que Vargas teve herdeiros políticos. E estes foram João Goulart e Leonel Brizola. E nós sabemos bem o que Brizola sempre disse sobre Lula: que ele e FHC disputavam para ver quem cumpriria melhor o mesmo programa neoliberal.

O lulismo, enquanto cadáver perambulante, é hoje um dos principais empecilhos para a construção de uma alternativa patriótica antiliberal no Brasil. Enterrem o defunto.

Deixe uma resposta