A solução para o conflito israelo-palestino é transferir Israel para os EUA:

O único povo no mundo que ama Israel é o povo americano, claramente influenciado por seu governo liberal-sionista e pelas hordas de televangelistas neopentecostais, todos eles sionistas, que possuem um protagonismo religioso nos EUA. Felizmente, apesar da avalanche neopentecostal por aqui, o povo brasileiro ainda não está no mesmo nível de lobotomia geopolítica.

Israel é mantida, preservada e só existe por causa dos EUA, que envia para o país, desde seu nascimento, bilhões de dólares para garantir sua “segurança”. Atualmente, os EUA estão enviando $ 3.8 bilhões anualmente.

Sempre que outros países tentam questionar as agressões, abusos e ilegalidades cometidas por Israel, quem está lá para defendê-los e impedir quaisquer tipos de sanções internacionais? Os EUA.

Qual é o único país do mundo que está planejando criminalizar campanhas de boicote contra o Estado de Israel, unindo nisso os seus dois principais partidos? Os EUA.

Eles, inclusive, utilizam esta mesma rede social que estamos usando agora para tentar silenciar críticas ao Estado de Israel.

Assim, se os EUA amam tanto o Estado de Israel… por que não simplesmente transferir o Estado de Israel para o território americano? Ocuparia menos espaço, geograficamente. Vai ocupar menos espaço até que as “reservas” nas quais os EUA trancam os seus indígenas.

A questão palestina estaria resolvida. Os palestinos voltariam a viver nos territórios nos quais já estão há séculos e poderiam comemorar o Natal, a Páscoa e seus dias religiosos muçulmanos sem medo, como fizeram por séculos antes da fundação de Israel. Síria, Líbano e Iraque deixariam de ter problemas com surgimentos “espontâneos” de grupos terroristas tentando fragmentar seus territórios. A ameaça de uma guerra com o Irã, que poderia levar a uma Guerra Mundial, desapareceria. O separatismo curdo deixaria de ser um problema. Os chechenos sossegariam. A Geórgia deixaria de tentar falar grosso para cima de seus vizinhos. A Arábia Saudita perderia seu principal aliado.

Um passo na direção da Paz Mundial!

É claro. Estamos aqui sendo jocosos. Essa ideia não é possível, nem mesmo plausível. Mas levanta uma questão importante sobre o fato de que Israel está no âmago de todos os principais problemas geopolíticos do Oriente Médio e que, até agora, os EUA ainda NÃO PAGARAM A CONTA por todas as tragédias que têm acontecido por lá.

Enquanto isso, cristãos americanos e, agora, brasileiros se digladiam na internet, e até na vida real, em uma defesa fanática e virulenta do Estado de Israel. E fazem isso por um povo que os despreza, que cospe em imagens de Cristo e zomba das crenças cristãs.

Há poucos exemplos de “cornismo cultural” maiores do que ser cristão e ser sionista.

Os EUA são os financiadores dos crimes israelenses e são o escudo por trás do qual Israel se esconde de seus cobradores. Assim, já está na hora dos EUA começarem a pagar a conta pelas montanhas de mortes causadas pela ideologia criminosa do sionismo.

Deixe uma resposta