O Apelo do Filho do Comandante Massoud ao Povo Afegão

Nos anos 80, Ahmad Shah Massoud, poeta e guerrilheiro, considerado o Che Guevara da Ásia Central, foi um dos líderes da luta contra a ocupação soviética de seu país. Nos anos 90, o Comandante Massoud, com apoio russo, iraniano e indiano, lutou contra o Talibã, até seu assassinato em 2001. Hoje, seu filho, Ahmad Massoud, é a principal liderança da resistência de guerrilha contra o Talibã. Resta ver qual será sua visão para o futuro de seu país.

Ahmad Massoud, filho do Leão de Panshir, Ahmad Shah Massoud, exorta seus compatriotas a não desanimarem com as vitórias do Talibã e os convida a se unirem a seus guerreiros na construção de um novo Afeganistão: “Estamos sozinhos na resistência. Mas nunca cederemos”.

Ahmad Massoud: “Tudo está perdido? Não.”

“Nós, afegãos, estamos na situação em que se encontrava a Europa em 1940. Estamos sozinhos, resistindo. Nunca cederemos”: estas são as palavras de Ahmad Massoud, filho do lendário Leão de Panshir, o Comandante Massoud e agora chefe das forças de resistência afegãs em Panshir. O apelo foi transmitido pela revista La Règle du Jeu, dirigida pelo filósofo Bernard-Henri Lévy. “Povo afegão, mujaheddin, amigos da liberdade em toda parte! A tirania triunfa no Afeganistão. A escravidão é estabelecida com estrondo e furor. Uma vingança odiosa cairá sobre nosso país martirizado. Cabul já geme. Nossa pátria está sob grilhões. Tudo está perdido? Não”, retorta Massud. “Herdei de meu pai, o herói nacional e comandante Massoud, sua luta pela liberdade dos afegãos. Sua guerra agora é minha. Meus camaradas de armas e eu mesmo daremos nosso sangue, com todos os afegãos livres que rejeitam a escravidão e que insisto que devem se juntar a mim em nossa fortaleza de Panshir, a última região livre em nosso país em agonia”.

“Vamos nos unir em Panshir”

“Apelo a vocês, afegãos de todas as regiões e tribos, e os convido a se juntarem a nós”, diz ainda o apelo sincero de Massoud. “Dirijo-me a vocês, afegãos do outro lado da fronteira que se preocupam com o Afeganistão e quero lhes dizer que vocês têm compatriotas, aqui em Panshir onde estou novamente, que não perderam a esperança”. “Dirijo-me a todos vocês, na França, Europa, América, no mundo árabe, em outros lugares, vocês que nos ajudaram tanto em nossa luta pela liberdade contra os soviéticos de então, contra o Talibã vinte anos atrás: caros amigos da liberdade, vocês nos ajudarão novamente como fizeram no passado? Nossa confiança em vocês, apesar da traição de alguns, é grande”. “Nós nos encontramos, afegãos, na situação da Europa em 1940. Com exceção do Panshir, a derrota é total e o espírito de colaboração com o Talibã está começando a tomar conta dos perdedores que perderam esta guerra por sua causa. Permanecemos sozinhos na resistência. Mas nunca cederemos”.

“Retomamos as armas”

“Escreveremos juntos uma nova página na história do Afeganistão. Nós afegãos não perdemos realmente uma batalha porque Cabul não está derrotada. Nós combatentes, jovens e velhos Mujahideen, aqui em Panshir, retomamos as armas”. “Juntem-se a nós, espiritualmente ou apoiando-nos diretamente. Estejam, amigos da liberdade, o maior número possível ao nosso lado. Juntos escreveremos uma nova página na história do Afeganistão. Será um novo capítulo na eterna resistência dos oprimidos contra a tirania. Com a ajuda de Deus, venceremos”.

Fonte: Il Primato Nazionale

Ilaria Paoletti

Escritora e jornalista italiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *