Valorize o regional! Rejeite o global!

Uma das mais belas e interessantes tradições brasileiras vem de Goiás. A Procissão do Fogaréu é uma das maiores expressões da catolicidade tradicional brasileira, acontecendo toda madrugada da Quinta-Feira Santa, na cidade de mesmo nome, Goiás.

Introduzida pelo padre espanhol José Perestelo de Vasconcelos Espíndola há quase 3 séculos, esse estilo de procissão é mais realizada em Goiás, Minas Gerais e no interior de São Paulo, uma geografia religiosa que revela a associação com o elemento etnocultural caipira. Trata-se de uma autêntica celebração comunitária que envolve centenas de milhares de pessoas todo ano.

Ademais, o Fogaréu é uma expressão da influência espanhola no Brasil, pouco mencionada, mas forte em vários estados. Eis aí um possível fator de aproximação com o resto do nosso continente, tal como há no Rio Grande do Sul pela reconhecida influência espanhola no estado.

Curiosamente, porém, a toda vez que se faz divulgação dessa bela e antiga tradição brasileira, hordas de progressistas histéricos levantam as vozes desesperados traçando associações estapafúrdias com o grupo racista americano Ku Klux Klan. Isso já aconteceu até conosco na última vez em que falamos sobre esse importante costume.

Esse tipo de histeria coletiva é expressão da americanização psicológica e cultural dos movimentos políticos e sociais brasileiros. As pautas e preocupações nossas passam a ser cópias das pautas e preocupações americanas. É o típico vira-latismo, já que isso depende de uma ignorância essencial em relação às tradições iberocatólicas de nosso país.

Esperamos que esse Fogaréu se alastre por várias outras cidades, como símbolo de nossa singularidade cultural e de nossas raízes, às quais deveremos sempre recorrer não só por sua própria importância religiosa intrínseca, mas também como fator de resistência às tentativas globalistas de desenraizamento dos povos.

Deixe uma resposta